Consultor Jurídico

Notícias

Separação dos poderes

Governador do Rio pede para Justiça agilizar processo

Comentários de leitores

9 comentários

O QUE SERIA ÉTICA PARA OS POLÍTICOS?

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

O que seria ética para os políticos (não todos), seria pegar "jatinhos" e helicópteros emprestados de empreiteiros (com contratos com a administração pública)?
Se for comum acontecer isso, fazer esse tipo de "gestão" não seria nada demais. Por que a procuradoria do estado não adotou as providências para agilizar os processos (ela tem capacidade postulatória)? Sem olvidar que as indenizações devem ser pagas... Gosto de Juízes (merece “J” maiúsculo) como esse que não aceita interferência política na sua jurisdição.

NOVIDADE ?

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Como se fosse alguma novidade no Brasil usar do cargo ou prestígio, quando não de dinheiro mesmo, para obter soluções mais rápidas á problemas que todos têm, mas que apenas alguns detém o privilégio de ser atendidos com prioridade.

Forma correta

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Prezado themistocles.br (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa). Já ouviu falar em algo chamado capacidade postulatória? A propósito, formular um requerimento junto à corregedoria significa situação bélica?

DEMORA PROCESSUAL E REPÚBLICA

themistocles.br (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Não há nada de "antirepublicano" por parte de um interessado de um processo solicitar que o feito tenha andamento, sobretudo se os prazos judiciais estiverem vencidos; é algo legítimo que a parte interessada tome as providências para a mais rápida solução da lide. Ao invés de o Governador entrar com uma representação junto à Corregedoria, preferiu agir amistosamente. Ai está o respeito ao demais poderes da República.

Vergonhosa postura do Presidente do Tribunal de Justiça

Dr. Mousinho (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Interferencia indevida no Poder Judiciário com a conivência do próprio presidente do Tribunal de Justiça, que se fez de lacaio do desgovernador...
O fato deve ser levado ao conecimento do CNJ para que o Senhor Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro seja advertido publicamente. É precedente sério de violação de atribuições funcionais... Parabens ao ilustre Magistrado que não se curvou às pressões denunciando o escandalo!

DEVE SER O COSTUME

penna (Advogado Sócio de Escritório)

O PEDIDO FORMULADO PELO GOVERNADOR E REITERADO PELO PRESIDENTE DO TJRJ DEIXA EVIDENTE QUANTOS OUTROS NÃO FORAM FEITOS E TAMBEM REITERADOS POR PREDIDENTES DO TJ EM FAVOR DE SUA EXESPOSA TÃO ASSEDIADA POR ESCRITORIOS DE GDE PORTE DE NOSSO ESTADO.
PAULO CEZAR GONÇALVES DA SILVA - ADVOGADO

!!!!!!!!

Neli (Procurador do Município)

Parabéns ao Juiz! O Executivo,ainda mais político,não tem que bedelhar no Judiciário.Se o processo expropriatório está lento,vá saber se a culpa não é do Poder Expropriante que pode protelar o depósito para a imissão na posse etc.
Parabéns ao Magistrado.

Menino de Recados de Luxo

Winfried (Outros)

De políticos pode se esperar tudo. É uma classe em que comportamentos antiéticos não causam mais surpresa alguma. Por isso, não me espanta a atitude "pouco republicana" do Governador. O que me causa engulhos é o Presidente do Tribunal (titular de um cargo que se equipara ao de Governador em honorabilidade, uma vez que, tanto quanto este, é dirigente de um Poder) se prestar a lacaio de Governador; um verdadeiro "menino de recados". E o pior de tudo é vir à imprensa defender o comportamento servil como se fosse a coisa mais natural do mundo. Chegou ao dislate de colocar-se publicamente à disposição do Governante para "acelerar" processos do interesse deste tantas vezes quantas forem necessárias! Todos sabemos a mensagem que o Governador, por meio de seu ilustre "menino de recados", quis passar ao Juiz, que de forma muito corajosa e respeitosa reagiu à tentativa de pressão, dando publicidade ao vergonhoso fato. Parabéns ao Magistrado.

Violação à independência dos Poderes

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Governador do Estado do Rio de Janeiro não possui poderes de postular em juízo. Deve se valer da Procuradoria do Estado para requerer o que quer que seja, e caso a reivindicação não seja atendida quanto a prazos, cabe reclamação no Conselho Nacional de Justiça, também através da Procuradoria do Estado. De fato, o Juiz tem razão ao reclamar da conduta do Governador.

Comentar

Comentários encerrados em 10/08/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.