Consultor Jurídico

Greve no Judiciário

Ajufe quer esclarecer corte em sinal de internet

O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Gabriel Wedy, pediu à diretora do Foro do Distrito Federal, Danielle Maranhão, esclarecimentos sobre a interrupção do sinal de internet durante manifestação da categoria em Brasília, nessa quarta-feira (27/4), durante a paralisação dos juízes federais.

O caso é mais um desdobramento de uma notícia publicada pela Ajufe em seu site. A entidade atribuiu a Danielle Maranhão a afirmação de que o sinal de internet, que transmitia o evento no portal, foi cortado por decisão do Conselho da Justiça Federal (CJF) e da presidência do Tribunal Federal da 1ª Região. Em nota, o presidente do CJF, ministro Ari Pargendler, informou que o conselho não teve qualquer relação com a interrupção do sinal e que a informação divulgada pela Ajufe é “mentirosa e irresponsável”.

Agora, em novo comunicado, Wedy reafirma que recebeu a informação sobre a interrupção da internet pela diretora do Foro. “Ela afirmou que o corte do sinal nas transmissões da solenidade não havia sido decorrência de problemas técnicos. Ao meu lado estava o vice-presidente da Ajufe, conselheiro eleito do CNJ, desembargador federal Tourinho Neto. Agradeci a diretora do Foro por restabelecer o sinal cortado, por sua coragem e dignidade, na frente de cerca de 200 juízes e por aqueles cidadãos que assistiam em todo o Brasil a transmissão já restabelecida”, observou.

“Se qualquer autoridade pretendeu cortar esse sinal, trata-se de um crime cometido contra a democracia brasileira e ao direito à liberdade de expressão e de informação”, disse Wedy. “Por que impedir a sociedade de ouvir líderes sindicais de outros países sobre o direito de greve de juízes? Qual a razão de impedir que a sociedade ouça os verdadeiros motivos de nossa paralisação: segurança, condições de trabalho, igualdade com o Ministério Público e revisão do teto constitucional moralizador? A quem interessa essa censura?”, questionou. Com informações da Assessoria de Imprensa da Ajufe.

Leia o ofício enviado pela Ajufe para a diretora do Foro do DF:

EXCELENTÍSSIMA SENHORA JUÍZA FEDERAL DIRETORA DO FORO DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

A Associação dos Juízes Federais do Brasil – AJUFE vem, muito respeitosamente, requerer seja certificado pelo setor responsável o motivo da interrupção da transmissão para as demais Seções Judiciárias do evento organizado no último dia 27 pela Ajufe no auditório desta Seção Judiciária.

Requer, ainda, a Ajufe, lhe seja fornecida cópia da referida certidão. Renova a Ajufe a Vossa Excelência protestos da mais elevada estima e distinta consideração.

N. Termos.
P. Deferimento.
Brasília, 29 de abril de 2011.
GABRIEL WEDY
Presidente da Ajufe




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de abril de 2011, 4h28

Comentários de leitores

2 comentários

comentario Improbidade

alvarojobal (Advogado Autônomo - Civil)

Brilhante comentario do Dr. Tulio Mendonça Procurador do Estado. Os cidadãos devem ficar felizes com a existencia de pessoas com altissimo respeito a "coisa publica".

Improbidade

Le Roy Soleil (Outros)

Não, senhor presidente da AJUFE, não há na espécie nenhum "crime contra a democracia", mas sim e tão-somente um lamentável episódio de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, pelo uso, por uma entidade privada (AJUFE), de um bem público (sinal de internet do TRF).

Comentários encerrados em 08/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.