Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Posse ilegal

Prazo para regularização de arma anula condenação

A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal concedeu Habeas Corpus para dois condenados por posse ilegal de arma de fogo. A corte estendeu a eles o benefício dado pelo Superior Tribunal de Justiça a outros corréus com base na alegação de que, por conta do prazo dado pela Lei 10.826/03 (Lei do Desarmamento) para regularização do registro de armas de fogo, o fato não teria sido tipificado como crime durante um período (abolitio criminis).

De acordo com a relatora do HC, ministra Cármen Lúcia, o STJ entendeu que no caso deles haveria o "dolo de possuir armas de fogo de origem irregular". Para ela, isso não poderia impedir a extensão do benefício, já que o dolo é elemento subjetivo implícito do tipo penal, indispensável à existência do próprio crime.

Segundo a defesa, ao anular a sentença contra os corréus, o STJ assentou que a posse ilegal de armas de fogo no período não configurava conduta típica. Porém, ao julgar os HCs dos impetrantes, negou os pedidos.

O pedido foi feito com base no artigo 580 do Código de Processo Penal, segundo o que "no caso de concurso de agentes, a decisão do recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivos que não sejam de caráter exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros". Com informações da Assessoria de Imprensa do Supremo Tribunal Federal.

HC 101.108

Revista Consultor Jurídico, 27 de abril de 2011, 8h36

Comentários de leitores

1 comentário

Título errado

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Na lista de notícias, consta: "Prazo para regularização de arma de fogo anula sentença por PORTE ilegal" (grifei).
Na verdade, como consta na notícia, a questão era de posse ilegal, não de porte ilegal, delitos distintos.
Se tenho, em casa, uma arma, posso estar cometendo o crime de posse ilegal. Se levo a arma para fora de casa, posso estar cometendo o crime de porte ilegal.
Sugiro troca do tículo, porque se trata de uma revista eletrônica jurídica.

Comentários encerrados em 05/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.