Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acusação de corrupção

Deborah Guerner, promotora no DF, é presa pela PF

A promotora de Justiça Deborah Guerner, deixa o IML, após ser submetida a exame de corpo de delito. Ela é acusada de dificultar as investigações sobre sua participação no esquema de distribuição de propina no governo do DF - Antonio Cruz/ABr

A promotora Deborah Guerner foi presa na manhã desta quarta-feira (20/4) pela Polícia Federal. Ela, juntamente com o promotor Leonardo Bandarra, são acusados de se beneficiarem do esquema de corrupção conhecido como o mensalão do DEM no Distrito Federal. De acordo com as investigações, eles teriam exigido R$ 2 milhões para não divulgar um vídeo onde o ex-governador José Roberto Arruda aparece recebendo dinheiro do delator do mensalão, Durval Barbosa. As informações são do portal G1.

De acordo com o Ministério Público Federal no Distrito Federal, Deborah Guerner e o marido, Jorge Guerner, tiveram a prisão preventiva decretada com base em indícios de participação de ambos em outro esquema de corrupção em São Paulo. O objetivo da prisão, segundo o MP, é garantir a ordem pública e evitar que crimes continuem a ser cometidos. O MP informou que ainda não pode divulgar detalhes dessa nova investigação.

A promotora é acusada de fraude processual por ter supostamente simulado insanidade mental para não ser responsabilizada pelos crimes dos quais é investigada. De acordo com o MP, há provas, em vídeos e documentos, de que Guerner teria feito aulas de teatro para simular a loucura, além de outros artifícios. A denúncia será avaliada pela juíza Mônica Sifuentes do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que vai decidir se Guerner responderá por mais essa acusação.

A prisão
Segundo o advogado de Guerner, Pedro Paulo Medeiros, ela foi presa juntamente com o marido, Jorge Guerner, no Aeroporto Internacional de Brasília, quando ambos regressavam de uma viagem à Itália. A assessoria da PF, no entanto, informou que Deborah Guerner foi presa em casa.

Medeiros explicou que Deborah Guerner viajou para a Itália porque o marido tem negócios no país. Segundo o advogado, Jorge Guerner viaja uma vez por mês para a Itália.

Deborah Guerner está presa na Superintendência da Polícia Federal em Brasília por ter foro privilegiado. O marido de Guerner será encaminhado para o Complexo Penitenciário da Papuda. O advogado de Guerner disse que não teve acesso ao mandado de prisão, expedido pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Ele afirmou, ainda, que sempre comunica ao TRF-1 quando ela e o marido viajam para o exterior.

Revista Consultor Jurídico, 20 de abril de 2011, 12h45

Comentários de leitores

4 comentários

"até tú brutus"

edusco.rio (Advogado Autônomo - Civil)

O que leva uma promotora de justiça concursada se meter nesta 'roubada' ?

Mensalão do DEM???

Zerlottini (Outros)

Ora, não foi somente o DEM que participou do mensalão, não! Tudo começou com o LUIS INÁCIO LULA DA SILVA, nosso "mui digno" ex-presidente - que, agora, está ganhando fortunas, dando conferências sobre como ficar rico, roubando impunemente - e ainda deixar uma vaca como sucessora. Essa mulher e o marido foram presos. Tá certo, merecem. Mas... e o resto? E aquela Ângela Guadagnin, que dançou no congresso? E o Genoíno (do Paraguai)? E o Zé?
No livro
PATARRA, IVO, O Chefe - que pode ser obtido gratuitamente, sob a forma de e-book, no endereço http://www.escandalodomensalao.com.br
há alguns milhares de nomes de 'mensalistas' - de todos os partidos. A maioria do PT, o partido mais corrupto do PLANETA!
Por que não estão na cadeia? Leiam o livro, senhores "otoridades". O sujeito que o escreveu está MUITO BEM DOCUMENTADO.
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Motivo

Caio T. (Serventuário)

Tendo-se por parâmetro um sem-número de decisões Brasil afora, muitas delas noticiadas no CONJUR, motivo é o de menos.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.