Consultor Jurídico

Notícias

Solução legislativa

Plebiscito sobre armas é desnecessário, diz Fux

Comentários de leitores

11 comentários

Plebiscito...

Zerlottini (Outros)

Aliás, sr. Fux, o povo sempre vota errado. Haja vista quem é eleito para presidente, senadores, deputados, governadores... Quem é o sr. para criticar o voto do povo? O povo vota como quer - e cabe a TODOS aceitarem isso! Mormente ao sr., como magistrado do mais alto escalão da "jus brasilis"... Se o sr. é a favor do desarmamento, desarme-se. E deixe o pov com sua opinião. Será que até nisso - além de sermos obrigados a votar - ainda somos obrigados a votar de acoro com a sua vontade? Ora, nos poupe, sr. sinistro! O povo quer ter armas - e é pena que não as use de forma útil - matando PELO MENOS um político por dia! E, pelsa suas ideias, o sr também pode ser colocado no "bolo".
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

Declaração lamentável

Igor M. (Outros)

Além do poder decisório das lides que o Ministro possui, ele agora deseja ter o poder de julgar o voto do povo e dizer quais intenções do mesmo estão corretas e erradas. “Todo mundo sabe que o desarmamento é fundamental” quando mais da metade da população brasileira demonstrou que quer o direito de possuir armas legais é uma afirmação autista e tirana. Todo mundo sabe, mas alguns insistem em se negar a aceitar, é que armas de fogo podem sim ser usadas para segurança, bastando saber usá-las e o Estado saber escolher bem quem pode usá-la – assim como fiscalizá-lo. Realmente, o Ministro tem razão numa coisa: não há mais necessidade de consulta popular para a comercialização e fabricação de armas de fogo em território nacional, pois NÃO deve se mexer mais nessa questão. Se fosse para mudar, ou seria para retirar o porte de armas para magistrados (e proibir o uso de carro blindados pelos mesmos) para adequá-los a condição dos demais cidadãos (e quero ver continuar com essa retórica do Ministro), ou então para se permitir o porte de arma normal para todos os cidadãos – desde que se passasse por rigorosos critérios psicológicos e de treinamento antes de ser contemplado com tal permissão.

Decepção

Neto (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Fiquei decepcionado com o fala do ministro Fux. Que negócio é esse que o Estado tem que entrar na casa das pessoas para desarmar? Isso me cheira autoritarismo, mais ao gosto de general da ditadura do que de um ministro do STF. Creio que o ministro deva se recolher aos interior do seus processos, pois quando fala ou dá alguma entrevista tem sido totalmente infeliz!

E os carros blindados do Supremo...

Axel (Bacharel)

Já que vivemos num país onde predomina a segurança e o cidadão comum não precisa do direito de se defender, o Estado garante a segurança de todos, sugiro que o STF se desfaça dos veículos blindados que atendem os ministros e compre carros como os nossos, pobres mortais.

armado eu?

Luciano Godoi (Outros)

será que os seguranças do Ministro também andam desarmados?

Quanta humildade

Olho clínico (Outros)

O povo votou errado...Será que ele se acha certo em relação ao povo? Sem comentários

Todas as bolas fora...

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Pelo projeto do CPC, já se vê que o Min. Fux é autoritário.
Na entrevista acima, demonstra ser machista também, além de autoritário.
Nas suas manifestações, sempre procura achar um culpado para tudo, e faz de seu próprio pensar, o primeiro e único, como dizer, por exemplo, que o povo votou errado. Ora, isso foi o que disse até o Zé Sarney!!
E encerra o rol de bobagens dizendo que é preciso vasculhar a casa das pessoas, em busca de armas.
Lamentável.

Autoritário e tendencioso

Ferret (Bacharel)

Esta é boa. O povo votou errado. É uma criança a ser levada pela mão. E o congresso, o órgão mais confiável do país, deve decidir.
O Estado é laico. Não pode haver associação do Estado com grupo relioso (com as devidas excessões). Só ler o art. 19, I.
Porém, ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política (art. 5, VIII). Direitos políticos são direitos, não são?

Uma bola dentro, uma fora.....

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

LAMENTÁVEL o discurso do Sr. Ministro no tocante às armas de fogo; como outros, ele defgende o desarmamento em prol da vida, esquecendo que não se trata disso, está desfocado, mítope, e quer que o povo e a LEI, sobretudo a LEI, guie-se por essa miopia: SE TRATA SENHRO MINISTRO DO AUMENTO DA CRIMINALIDADE DEPOIS DA LEI DO DESARMAMENTO; SE TRATA, SENHOR MINISTRO, DO EXERCÍCIO DO SACROSSANTO DIREITO DE LEGÍTIMA DEFESA, e não desse piongo discurso sobre as benesses de um país onde não haja crimes...Sr. MINISTRO: SHANGRILÁ foi apenas um livro e um filme, que se passa num ligar imaginário onde não há criminosos...Uma pergunta: Esse Ministro abriu mão da SEGURANÇA a ele dispensada pelo Cargo? Bem, LAMENTÁVEL esse discurso, justamente vindo daquele que, em defesa da CONSTITUIÇÃO, deveria apoiar o DIREITO À VIDA ali normatizado, do qual o direito à legítima defesa é corolário. Esse MINISTRO, que julgou bem a questão da ficha limpa, nos deu falsa idéia de seu comprometimento com os direito públicos ao afirmar que se deverá encontrar um meio de se adentrar aos lares das pessoas para se verificar se ali há alguma arma de fogo...sinceramente, devemos pensar no instituo do "impeachment" para os Ministros do STF, na qualidade de representantes de um dos poderes da REPÚBLICA. Essa proposta ofende de maneira mas tosca, rasa e reles, a CONSTITUIÇÃO DO BRASIL.

Mais um tropeço...

Raphael F. (Advogado Autônomo)

Enquanto diversos projetos de lei estão apodrecendo nos arquivos do parlamento federal, atos de impulso, como propor novo plebiscito, são praticados diariamente. É muito interessante o Ministro reconhecer que sempre teve porte de arma, que era importante pois ia a comarcas do interior, e dizer que o povo precisa estar desarmado. O corporativismo predomina no Brasil, a começar pelas autoridades públicas. Possui arma de fogo, para quem quer e preenche os requisitos exigidos pela lei, é simplesmente possibilitar o cidadão a exercer na íntegra o seu direito à legítima defesa. A segurança pública é vergonhosa. E atos como o desarmamento só abre espaço para empresas de segurança privada, por vezes pertencentes a servidores aposentados, ganhar rios de dinheiro em cima da população que vive à mercê dos tropeços do Estado. Crimes com armas de fogo no Brasil são praticados com armas velhas ou trazidas ilegalmente do exterior. Restringir a arma de fogo no território nacional só irá fortalecer o mercado negro, pois quem se sente seguro com arma de fogo, jamais irá deixar de possuir um, ainda que ilegalmente.

Um absurdo um Ministro do STF propor esta medida

Carlos Ribas - Consultor (Consultor)

O ministro Luiz Fux surpreende novamente, quer simplesmente tirar do povo o poder de decidir o que é melhor para si. Afronta total a Constituição que prevê o direito a Legítima Defesa. Em vez de cobrar e propor medidas que possibilitem um melhor controle em nossas fronteiras quer banir as armas de fogo das mãos dos cidadãos como fizeram os Nazistas, impossibilitando o povo de se defender. O problema está nas armas ilegais que os que dizem existir não sabem informar onde se encontram para poderem ser recolhidas. O ministro que votou contra a Lei da Ficha Limpa que pune os maus políticos, afirma agora que o povo brasileiro não sabe votar, melhor ele faria julgando rapidamente aqueles que desviam o dinheiro público em seu próprio proveito.

Comentar

Comentários encerrados em 23/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.