Consultor Jurídico

Dentro da jaula

Pais de menino morto por leão serão indenizados

Os pais de um menino de seis anos morto por leões serão indenizados em R$ 275 mil, por danos morais e materiais. Os animais pertenciam a um circo que, em 2000, foi montado no estacionamento do Shopping Guararápes, em Recife. Ao mensurar o valor, o Superior Tribunal de Justiça estabeleceu que devem responder solidariamente a empresa responsável pelo evento, a Sissi Espetáculos, e as responsáveis pela locação do circo, a Omni e a Conpar Participações Societárias.

Enquanto se preparava para tirar fotos, a criança foi puxada pelas garras dos leões para dentro da jaula. Como o circo não tem patrimônio, não responderá juntamente às outras empresas. As empresas condenadas afirmavam serem meras locatárias, de forma que não deveriam responder pelo pagamento da indenização.

Aplicando o princípio da razoabilidade, a 4ª Turma resolveu reformar o valor da condenação, anteriormente fixada em R$ 1 milhão. Na opinião do colegiado, a responsabilidade das empresas é fundada pelo risco da atividade econômica — ou seja, exibir o espetáculo com o objetivo de angariar lucro.

Os ministros se fundamentaram no Código Civil e no Código de Defesa do Consumidor. De acordo com o artigo 17 do CDC, se equiparam a consumidores aqueles que acabam sofrendo as consequências do acidente de consumo. Para a 4ª Turma, ficou comprovado que as empresas foram imprudentes ao instalarem um circo em condições precárias.

O relator do caso, ministro Luis Felipe Salomão, lembrou da existência do Projeto de Lei 7.291, de 2006, que pretende proibir a apresentação ao público de animais ferozes. Com informações da Assessoria de Comunicação do STJ.

REsp 1.100.571




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 14 de abril de 2011, 13h20

Comentários de leitores

2 comentários

nâo há critério

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Nem o STJ e nenhum tribunal tem critério para aferir o valor da morte.
Na verdade o sistema é totalmente falho.
Infelizmente.

Mitigação

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É cada vez mais preocupante a mitigação das indenizações que vem sendo feita pelo STJ, em favor de empresas. Alguém morrer no Brasil pelo ataque de uma fera, trazida da África, é algo abominável, agravando-se a conduta pelo fato da empresa ter feito tudo isso para ganhar dinheiro. 1 milhão ainda seria um valor baixo.

Comentários encerrados em 22/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.