Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Mau uso de recursos

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O caso relatado pela colega cleuza (Advogado Autônomo - Civil) confirma o que eu já disse abaixo: há uma mau utilização dos recursos públicos, priorizando-se áreas que interessam ao Governante em detrimento das áreas que interessam ao cidadão-contribuinte.

Concurso publico de Oficial de Justiça de SP

cleuza (Advogado Autônomo - Civil)

Apos 10 anos sem concurso e realizado em julho de 2009 concurso publico para oficial de justiça de SP, até hoje não houve nenhuma nomeação dos 500 aprovados mesmo reconhecida a carencia dos quadros em quase todas as comarcas, principalmente na Capital onde se noticiam o excesso de trabalho, sindrome de panico entre outras, assim, aqueles que se preparam para ingressar na carreira publica devem antes cientificar-se da verdadeira maratona pós aprovação devido ao descaso e falta de comprometimento das Instituições. A par disso, a Associação dos Oficiais de Justiça Avaliadores do Estado de São Paulo- ASSOJASP, esta convocando todos os aprovados para uma audiencia Publica na Assembleia Legislativa no dia 14.04.11 as 19.00hs no auditorio Plenario Paulo Kobayashi, ver http://www.assojasp.org.br/ASSOJASP-WEB/H-NIVEL-SUP/AUD-PUB-CONCURSADOS.html.

e o pior de tudo é que até hoje não tem lei dos concursos

analucia (Bacharel - Família)

e o pior de tudo é que até hoje não tem lei dos concursos, ou seja, é o caos dos editais.

Direcionamento das verbas

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Além disso, vemos que o crescimento de cargos e vencimentos nos últimos anos se deu visando atender aos interesses da própria máquina estatal, ao invés de buscar aprimoramentos no serviço prestado à população. Veja-se que o Supremo Tribunal Federal teve que declarar a constitucionalidade de um piso nacional para professores no valor ínfimo de R$1.187,14 quando sabemos que há assessores e milhares de outros servidores sem o menor preparo técnico e capacidade de trabalho ganhando 10 ou 15 mil por mês. Até juízes federais estão com o pires (tudo bem, de ouro) nas mãos em busca de melhor remuneração, e quanto a policiais não precisa nem dizer. Em resumo, o Estado brasileiro subverte a ordem das coisas para cada dia mais se inchar com servidores que de efetivo nada produzem em favor da população, em detrimento das áreas que realmente importam como saúde, educação, segurança pública, pesquisa científica, e outras.

Agigantamento do Estado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A questão é extremamente preocupante. Segundo dados, o consumo de recursos com servidores públicos na União saltou de 70 bilhões de reais em 2003 para 170 bilhões em 2010. Porém, a qualidade do serviço público, como sabemos, só piorou, bem como a quantidade de crimes e irregularidades cometidas por servidores a agentes públicos. Nos termos da Constituição Federal deve haver uma coerência entre os vencimentos pagos no setor público e privado, mas vemos por aqui uma disparidade enorme, com servidores públicos ganhando 5 vezes mais do que ganha o trabalhador do setor privado, considerando a natureza e exigências do cargo. Na verdade essa disparidade deriva da carga tributária elevada e da grande quantidade de recursos à disposição dos governantes, que acabam utilizando os excedentes para constituir uma reserva de voto com os salários elevados no funcionalismo público. Veja-se que computando-se todos os servidores e suas famílias, chegamos a um contingente de quase 1/3 do eleitorado brasileiro, que pode ser facilmente manipulado no momento da eleição com elevação de vencimento e vantagens, como fez Lula na eleição de 2006. Nos EUA um servidor público acaba por ganhar menos de 1/3 do trabalhador do setor privado do mesmo nível, notadamente na área jurídica. A sociedade brasileira precisa acordar para essa realidade, pois do contrário estaremos condenados para sempre ao subdesenvolvimento.

concurso

magi-mg (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Eta gente boba!
Basta fazer um curso de direito, conseguir um padrinho político e ingressar no Judicário através do quinto constitucional, sem concurso !

Futuro previsível...

Elza Maria (Jornalista)

Em breve haverá no Brasil apenas duas classes sociais: a dos funcionários públicos componentes de uma máquina estatal inchada, e a dos não funcionários públicos. Aquela tende a ser maior do que esta. Quando isso acontecer, a percepção de que o Estado moderno tem muito pouco de diferente do antigo estado absolutista será bem mais nítida. Que ranço esse, não?!

Comentar

Comentários encerrados em 15/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.