Consultor Jurídico

Comentários de leitores

14 comentários

Tolerancia ZERO

FRMARTINS (Administrador)

Parabéns ao TJSP pela iniciativa brilhante e simples.
Cabe ainda pergunta:
O TJRJ vai imitar o ato administrativo ou ficará como está: parado, inerte. Justiça lerda é uma injustiça.

Demora no julgamento

estudioso do direito (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

Parabéns Presidente. A saída dos tardinheiros voltará a colocar São paulo na vanguarda. Só falta aplicar a medida também à primeira instância e eliminar os votos de acessores

Aplicação do processo administrativo

FRMARTINS (Administrador)

Juizite não há cura. Conversa fiada. O CNJ tem que aplicar a Lei 8.112, em relação ao processo administrativo do servidor que descumpre os deveres do cargo ou lei similar que possa agravar a incapacidade dos juízos em julgar os processos. Assim como a PM " ou a Policia civil "corta a própria carne" em expulsar os indisciplinados deve ser feito do mesmo modo com os juízes. Justiça já
FRMartins

E quanto aos Dignos Juízes de 1ºGrau?!

Mauro Abramvezt advogados (Advogado Autônomo - Comercial)

De se indagar como, e quando, seriam alcançados pela nova diretriz os senhores juízes do nosso Forum Civel,o Central,por exemplo,que, por vezes, convocados ao TJSP, encontram nisto desculpa para não imprimir andamento em feitos sob sua égide. Outros, mesmo não chamados em tal irregular "auxilio" - diga-se de passagem - deixam ao critério dos cartorários o andamento dos procedimentos sob sua égide, e os funcionários destes, quando instados a se explicar, alegam que o "Juiz só aceita conclusão de trinta em trinta dias", mesmo quando é para subscrever um mísero e ilícito carimbo de "diga...".
Enfrentar tais magistrados,mercê sólidas petições que lhes questionem a respeito, é arriscar por demais a integralidade dos direitos dos constituintes,e lhes obrigar a perseguir recursos à Superior Instancia, que tantas vezes demoram por mais de dez anos...
Assim, entre a "cruz e a espada", tem sido a vida do profissional que exerce a advocacia, no meu caso, há mais de quarenta e cinco anos, o que me permite testificar que o assunto em pauta foi se deteriorando, permitindo saudades daqueles magistrados que levavam para casa seus afazeres não cumpridos no trabalho diário, sacrificando seus fins de semana, como qualquer outro idôneo cidadão na ânsia de cumprir seus deveres para com a sociedade...
Será que igualmente serão "convocados" a trabalhar?

Espero que dê certo!

Flávio (Funcionário público)

Pelo menos é um começo, se não se fizer nada vai continuar do jeito que está. Com o tempo os srs. desembargadores vão acabar se acostumando com a idéia. Precisam seus gabinetes contar com assessores jurídicos tarimbados, sem essa de nomear apadrinhados, sem um "up grade" necessario para um bom desempenho. No mais, torço para o sucesso da empreitada.

Velocidade X Qualidade

Sandra O. Nogueira (Advogado Autônomo)

Apesar de gostar, e muito, da notícia de que os Senhores Desembargadores deverão ter a produtividade controlada, assusta-me a possibilidade de termos julgamentos sem qualidade, pois tenho observado que em alguns casos houve análise apressada dos autos, o que resultou em julgamentos que se desviaram do pedido inicialmente feito, obrigando-me a ir para o STJ ou STF, quando poderia terem sido resolvidos em grau de apelação. Todavia, essa velocidade a ser imprimida, concordo ser necessária, pois tenho processos sem julgamento há mais de 4 (quatro) anos. Parabéns ao Sr. Presidente pela iniciativa.

FOGO DE PALHA

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Sem querer ser pessimista (apenas realista) , como todas as leis/regulamentos/regras, etc.no Brasil, são 'modismos' que passam tão rápido quanto a fama de um Big Brother, isso é fogo de palha que incendeia forte e rápido, mas apaga em meia hora sem precisar de extintor. Vamos conferir e daqui há 30 dias ninguém mais vai se lembrar dessa determinação, tampouco o próprio desembargador que expediu a diretriz.

Nelson Gonçalves

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Lembrei de uma do nosso saudoso cantor que tem refrão:
!Essa cínica farsa de agora faz me rir, faz me rir"

Risível

Fernando Queiroz (Advogado Autônomo)

A piada do ano. Todos sabem que isto não vai ocorrer. Não se cobra nada de "DEUS", especificamente dos "DEUSES". Juizite não há cura.

Por que demorou tanto?

Vandir (Professor Universitário)

Acredito que o título poderia ser "Por que demorou tanto?"
E será que não existem processos tão antigos quanto.. quem nem chegaram aos Tribunais?

ALVOROÇO NA TOGA

Fábio A.Balthazar (Serventuário)

Ao analisar os processos dos juízes que estão em dia é preciso ponderar se os processos são findos, ou subiram de grau, pois de nada adianta decidir rápido e mal, pois uma vez mal decidido, perde a oportunidade de transitar em julgado e sobe para outro deslinde, o que significa que ele não saiu do judiciário, simplesmente passou outra fase de julgamento. A estatística deve ser sempre feita sobre os processos findos, pois estes vão para o arquivo e , assim a meta de produção é alcançada com a solução do litígio.
Se essa Resolução somente se preocupa com processos julgados, independente se permanecem ou não no Poder Judiciário Paulista, como saberemos se o TJ-SP está solucionando as demandas, e não repassando para instâncias superiores?

Promoção

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Acho que para ser alçado a desembargador, o juiz de primeiro grau, além de antiguidade e merecimento, deveria atingir uma média de produção.

remuneração

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Diante deste cenário, diria até que mudei minha opinião em relação ao aumento da remuneração dos juizes. Mas somente os juizes em dia com seu acervo processual. Este sim são dignos da toga

Parabens ao TJSP

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Finalmente um presidente antenado com a atualidade do cenário jurídico-processual deste estado. Sem desmerecer os dois que lhe antecederam, com o devido respeito, eles não estavam acorrentados a mentalidades ultrapassadas e antigas. Como pode, um desembargador não conseguir julgar 20 processos no mês? (Conforme texto da própria reportagem).

Comentar

Comentários encerrados em 14/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.