Consultor Jurídico

Dia de eleição

Eleitores só podem se manifestar em silêncio

Bandeiras, broches, dísticos e adesivos só poderão desfilar solitários. Como a legislação eleitoral proíbe a aglomeração de pessoas com vestuário padronizado neste domingo (31/10), das 8h às 17h, quem quiser mostrar o apoio ao candidato terá de fazê-lo em silêncio.

A Lei 9.504/97, a conhecida Lei das Eleições, permite a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por qualquer candidato, partido político ou coligação partidária revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches e adesivos. Além da manifestação coletiva, está proibida também a realização de boca de urna. Por isso, a distribuição de santinhos, as tentativas de aliciamento ou de coação de eleitores estão fora de questão.

Já os candidatos que oferecem transporte gratuito de eleitores e alimentos cometem crimes eleitorais. Nesses casos, a pena varia de quatro a seis anos de reclusão e pagamento de multa.

A lista de proibições não acaba por aí. Na cabina de votação, por exemplo, é proibido portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiodifusão ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto. Enquanto o eleitor estiver votando, os aparelhos ficam retidos na mesa receptora. Com informações da Assessoria de Comunicação do TSE.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 31 de outubro de 2010, 11h15

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/11/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.