Consultor Jurídico

Sem relevância

TSE mantém no ar inserção de rádio de Dilma

O ministro Joelson Dias, do Tribunal Superior Eleitoral, negou liminar em que o candidato à Presidência da República José Serra pedia a suspensão da veiculação de propaganda de 15 segundos, que está sendo veiculada desde a manhã deste sábado (9/10) no rádio, no tempo reservado à também candidata Dilma Rousseff. Para Serra, a inserção configuraria insulto à sua honra.

De acordo com a coligação “O Brasil pode mais”, que apóia Serra, trechos do jingle questionado diriam que “Serra só da bola pra rico” e que ele diz que é do bem “mas é do PSDB, ele é da turma do FHC”.

Em análise preliminar, o ministro Joelson Dias afirma que não vislumbra “imputação precisa que respalde, sem margem de dúvida, a relevância jurídica do pedido e, consequentemente, autorize o deferimento da liminar reclamada”.

Além da suspensão da inserção, a coligação “O Brasil pode mais”, pediu também o direito de reposta pelo tempo de um minuto para cada vez que esta inserção for veiculada.

Para o ministro, somente quando da análise mais detida da ação, por meio do exame do mérito, é que se poderá concluir se a propaganda ultrapassa o direito de crítica e se veicula suposta mensagem ofensiva apta a possibilitar o referido pedido de direto de resposta. Com informações da Assessoria de Imprensa do TSE.

RP 344.049




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 10 de outubro de 2010, 18h21

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/10/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.