Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Empatia geral

Falha de S.Paulo ganha versões após ser tirado do ar

O site Falha de S.Paulo, criado com a intenção de satirizar o jornal Folha de S.Paulo, está fora do ar e seu registro foi congelado após liminar concedida pela Justiça ao grupo que administra a publicação. Mas, a empatia gerada pelo falecido gerou dois novos blogs, esta semana, com o mesmo nome. A notícia é do Portal Imprensa.

No final da tarde de terça-feira, foi divulgado o Falhadesaopaulorat.blogspot.com, espaço que reproduz um post do blog Boteco Sujo. O texto "Censura eu, Folha" incentiva a publicação a agir contra a página.

Criado pelo internauta "RatoSujo", o blog ressalva que as informações foram retiradas do Boteco Sujo sem autorização de seu autor. É alimentado também por vídeos contra o "Partido da Imprensa Golpista (P.I.G)".

Outro simpatizante da causa do Falha de S.Paulo - utilizando o mesmo nome - criou um novo site sobre o tema, mas hospedou a página em um provedor norte-americano e prometeu montar um novo espaço a cada proibição ou intervenção judicial.

Crítica bem-humorada
O Falha de S.Paulo nasceu há 20 dias. Os irmãos Lino e Mario Bocchini faziam de três a cinco postagens diárias, usando a diagramação e as fontes gráficas da publicação impressa, com títulos como "Só a Folha pode definir o que é democracia".

"A gente fazia uma crítica bem-humorada ao jornal, por considerá-lo partidarizado. Tinha fotomontagem, piadinhas, balões de fala nas fotos", conta o jornalista Lino. "O que surpreendeu a gente é que a liminar fala em folhas 80 e 81 do processo. Ou seja, a Folha abriu um processo de mais de 80 páginas contra um blog independente".

Na manhã de segunda-feira (4/10), os irmãos receberam um e-mail do departamento de assessoria jurídica do Registro.Br, empresa responsável pela administração dos registros de domínio de internet no Brasil. Segundo o comunicado, o domínio falhadespaulo.com.br permanecerá congelado para atender à decisão do juiz de Direito da 29ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de São Paulo, Nuncio Teophilo Neto.

Antes da liminar, o Falha de S.Paulo tinha cerca de 1 mil acessos diários. No sábado, quando os blogueiros publicaram a liminar e tiraram todo o conteúdo do ar, o número de visitas subiu para 40 mil. A dupla mantém ainda um perfil no Twitter.

No post de despedida, Lino e Mario escreveram ser “impressionante a hipocrisia da Folha”. No dia 26 de setembro, o jornal publicou um editorial na primeira página defendendo a irrestrita liberdade de expressão — como conta Lino, “mesmo quando incomodarem pessoas poderosas”. Além disso, o periódico criticou a tentativa de impedir o uso de humor nas campanhas eleitorais deste ano.

A justifcativa
O pedido de liminar não foi para impedir a sátira em si, mas sim zelar pela marca do jornal, segundo a advogada da publicação, Taís Gasparian. “A Folha, como qualquer outra empresa, deve preservar a sua marca”, disse ela. Sobre a multa definida pelo juiz, ela diz ser baixa.

Lino não concorda com a advogada. Para ele, o valor é excessivo, ainda mais se tratando de um blog independente, que não possui publicidade ou banners. “O que a Folha fez foi uma manobra jurídica pra encobrir a censura. Ao mudar a esfera da ação da liberdade de expressão para o uso indevido da marca, o jornal deu uma desculpa esfarrapada.”

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2010, 16h29

Comentários de leitores

2 comentários

Uma vez censor, sempre censura

Guto Prates (Bancário)

Não foi atoa que a Folha e seus "Frias" intitulam os anos de chumbo brasileiro de ditabranda. Eles estavam do mesmo lado, colaborando com o regime. Continuam do mesmo jeito, do mesmo lado: dos poderosos, da elite que manda e arrebenta e ai de quem ousa desafiá-los, como um operário sem dedo, e até mesmo inocentes blogueiros. A Folha não e só falha, a folha é um nada, um vazio perdido nas liberdades mal aproveitadas deste imenso país.

Folha deve explicações

Armando do Prado (Professor)

Os Frias devem explicações sobre apoio que pretaram aos torturadores nos anos 70. Apoio moral e, principalmente, material. Isso não se apaga facilmente.
E, hoje, se prestam a apoiar o Serra Rubnei e censurar blogueiros. Frias v. continuam devendo perante a história.

Comentários encerrados em 17/10/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.