Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Visto por dentro

Anuário da Justiça São Paulo 2010 radiografa TJ-SP

Por 

Capa Anuário da Justiça São Paulo 2010 - ConJur

Mais de três mil juízes, cerca de 300 mil advogados inscritos na OAB e uma montanha de 19,4 milhões de processos na primeira e segunda instâncias. Esses são alguns números que integram o Anuário da Justiça São Paulo 2010, o mais completo levantamento realizado sobre o Judiciário paulista, com lançamento marcado para o dia 30 de novembro, mas já disponível na internet pelo sistema de pré-venda. Produzido pela Conjur Editorial, a publicação abre as portas do maior tribunal do país por onde entram uma em cada três novas ações que formam o acervo judicial brasileiro.

A cerimônia de lançamento do Anuário da Justiça São Paulo 2010, promovida pela Consultor Jurídico e pela Associação Paulista de Magistrados (Apamagis), acontece no dia 30 de novembro, a partir das 19h, no Auditório do Edifício MMDC, antigo Teatro Hilton. A partir da primeira semana de dezembro, a publicação estará à venda nas principais bancas e livrarias, e no site da revista eletrônica Consultor Jurídico.

Visto por dentro, o cenário é o de uma batalha, com 360 desembargadores e 85 juízes de segundo grau responsáveis por 536.630 decisões terminativas no período de um ano. Embora expressiva, a produtividade dos julgadores paulistas tem se revelado insuficiente para reduzir o estoque de recursos à espera de julgamento. O Judiciário que mais julga é também o que recebe a maior demanda a ponto de concentrar quase a metade (44%) do total de processos em tramitação na Justiça dos estados.

“O ritmo acelerado de produtividade de desembargadores e juízes não tem impedido que a porta de entrada de processos no Judiciário paulista continue mais larga do que a de saída”, afirma o jornalista Maurício Cardoso, diretor executivo do Anuário e da revista eletrônica Consultor Jurídico. “Apesar das mais de cinco milhões de sentenças de primeiro grau e de cerca de 900 mil decisões, o estoque continua evoluindo.”

O Anuário da Justiça São Paulo 2010 mostra e analisa os bastidores dessa guerra de forma clara e concebida para servir de referência diária para todos aqueles que atuam na área do Direito e da Justiça. A publicação traz ainda o perfil de cada desembargador e juiz de segundo grau, bem como a composição de todas as Câmaras de Direito Público, Privado e Criminal. Destaque especial foi reservado para as principais decisões tomadas nos últimos 12 meses, selecionadas entre aquelas com maior grau de influência na doutrina, na jurisprudência e na vida de milhões de pessoas. A leitura atenta desses julgamentos permite que cidadãos e profissionais do Direito conheçam a tendência de voto de cada julgador ou do órgão colegiado, como um todo.

Clique aqui para reservar o seu exemplar.

 é jornalista

Revista Consultor Jurídico, 18 de novembro de 2010, 15h52

Comentários de leitores

2 comentários

Brasília não é o centro do universo

Michael Crichton (Médico)

O mundo jurídico brasileiro não se resume a Brasília. Ministros de tribunais superiores, com particular destaque para Nelson Jobim pelo que falava, tendem a pensar que o relevante está somente em tais lugares. O que está fora não conta. Tribunais de justiça seriam de mera passagem. As varas e os juízes de primeiro grau, então, melhor nem perguntar. Mas o certo é que muita coisa começa e acaba no primeiro grau. A liminar do juiz de primeiro grau tem, na vida do sujeito, mais importância que um julgamento do pretório excelso que dure dois dias. Na verdade, tudo é importante. Desconsiderar os tribunais e juízes de primeiro grau é soberba.

Qual é a influencia de um Tribunal Estadual no Judiciário N

JPLima (Outro)

Nenhum. Nunca vi Ministros dos Tribunais Supeiores citarem juízes ou desembargadores de TJ. Esta revista só serve para SP, se servir.

Comentários encerrados em 26/11/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.