Consultor Jurídico

Notícias

Lei branda

Plantio de maconha para uso pessoal gera pena leve

Comentários de leitores

6 comentários

SEM PROVAS

B M (Advogado Autônomo - Civil)

Ora, se não tem provas de comercialização, não caracteriza tráfico, correta a decisão do Desembargador e ponto final. Como certos membros da sociedade gostam de punição, claro, para os outros.

Ai ai ai ... esses desembargadoresm de hoje em dia....

wilsondecastrojr (Policial Militar)

Gostaria de saber se a plantação de maconha tivesse sido encontrada na casa que fica bem ao lado da casa do desembargador e para ser mais exato, se a sombra da referida árvore canabis fizesse uma bela sombra no quarto de um dos seus filhos adolescente.
Será que o julgamento teria sido o mesmo?
Meu Deus .... a quantas anda o nosso judiciário.

Maconha

Sargento Brasil (Policial Militar)

Não é segredo nenhum que as drogas destroem a juventude e famílias inteiras, agora dão um passo a mais para a legalidade da canabiscultura, porém, para a instalação de unidades de desintoxicação (tão deficientes)e tratamento para que abandonem o vício, isso ninguém ''perde tempo'' para sequer projetar. Um país, com jóvens debilitados e com a extinção da família, é um país perdido, sem futuro.

A mentira

Emerson Reis (Bacharel - Criminal)

Nos bancos da faculdade ensinam que devemos deixar nossas preneções de lado e julgar com a razão. Assim que a droga é um malfício já está provado. Assim como o alcool cigarro etc. Nesse sentido, indago: Os "ilustres" desembargadores concedem benesses ao traficantes, SABENDO que as as drogas são perigosas, um cancer que está em metástase acabando com a sociedade, teriam eles julgado sem as suas preneções....

Deveriam liberar geral

Oziel (Funcionário público)

Do jeito que a coisa está, é melhor liberar o consumo e a venda de drogas de uma vez. Se a droga é ilegal, o consumo deveria ser tão combatido quanto o fornecimento, e não será com esse arcabouço jurídico rídiculo (a lei "anti-drogas") que ganharemos a batalha.
É uma regra básica no comércio: para se combater a venda de um produto ataca-se o comprador e não o vendedor, pois saindo um vendedor a demanda trará outro, ao passo que se os consumidores forem retirados, os vendedores não terão para quem vender.
Sou totalmente contra o uso e a venda de drogas. Entretanto, com essa discussão de teóricos sobre a liberação (boa parte legislando em causa própria), é melhor que se libere geral. Assim todos terão certeza dos malefícios das drogas.
Enquanto as drogas não são definitivamente liberadas, o melhor para o traficante é ir para São Paulo. Se por acaso for flagrado com dois quilos de droga no carro, basta alegar que a grande quantidade é para a despensa da casa, que compra em grande quantidade para não ter que ir na boca todo dia... Dificilmente, os magistrados não acreditarão.

Traficantes e muita alegria

Juarez Araujo Pavão (Delegado de Polícia Federal)

O tráfico avança e consegue um marco extraordináio na escalada do crime. Com esse posicionamento da justiça paulista, certamente, o entusiasmo aumenta entre os traficantes e não traficantes, que veem ai, uma oportunidade ímpar para ganhar muito diheiro com pouco esforço. O próximo passo, deverá ser permitir a comercialização de pequenas quantidades para uso. Não há dúvidas, que no Brasil, o crime vale a pena, porque é barato e aumenta os debates academicistas, com destaque para os neogarantistas.

Comentar

Comentários encerrados em 22/11/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.