Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Confusão nas respostas

OAB orienta prejudicados no Enem a procurar o MP

Os candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que tiverem sido prejudicados pelo erro de impressão da folha de respostas da prova deste sábado (6/11) devem procurar o Ministério Público (MP) para relatar o problema. A recomendação é do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante. Uma das possibilidades, segundo ele, é que o exame seja anulado e aplicado novamente. A notícia é da Agênca Brasil.

Ontem, a folha em que os estudantes marcam as respostas das questões estava com o cabeçalho das duas provas trocado. O exame tinha 90 questões, sendo a primeira metade de ciências humanas e o restante de ciências da natureza. Mas, na folha de marcação, as questões de 1 a 45 eram identificadas como de ciências da natureza e as de 46 a 90, como de ciências humanas.

De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o erro foi detectado logo que as provas começaram e todos os fiscais das 128 mil salas de prova teriam sido avisados para orientar os estudantes que seguissem a ordem numérica das questões. O Inep garantiu ontem que nenhum estudante será prejudicado, caso tenha sido mal orientado. O órgão vai disponibilizar nesta semana um site na internet para que os candidatos abram um requerimento e peçam a correção invertida da folha de marcação.

Para Cavalcante, a sinalização do Inep não é suficiente para que o direito dos inscritos esteja garantido. Segundo ele, o MP deve investigar se o erro pode “redundar em um comprometimento do rendimento dos alunos” e, caso não seja possível aproveitar a prova já feita, o caminho é a anulação e reaplicação do exame.

“Não se pode ter sobre o exame qualquer tipo de dúvida a respeito de sua credibilidade. A simples declaração de que vai ser feita uma correção diferente para quem foi prejudicado tem que ser tomada com certa reserva. É necessário que haja uma verificação por parte do MP de como isso vai ser feito, até porque milita contra o exame uma carga de incompetência e falta de cuidado na confecção da prova”, afirmou.

Revista Consultor Jurídico, 7 de novembro de 2010, 16h54

Comentários de leitores

3 comentários

A OAB é entidade paga para defender os advogados ou o MP?

E. COELHO (Jornalista)

Se os advogados pagam anuidade para a OAB, então, seria correto ela orientar as pessoas prejudicadas que procurem UM ADVOGADO !
.
Ora bolas, a OAB é paga pelos advogados para que a entidade defenda os interesses dos seus contribuintes, ou seja, os advogados. Acho no mínimo estranho que os dirigentes da OAB recomendem os prejudicados a procurarem o MP.
.
Alguma coisa está errada !?

Lá vai a OAB!!!!!!

Manente (Advogado Autônomo)

E quando as questões do exame de ordem são anuladas??? Os examinandos que reprovaram e foram prejudicados, deveríam tomarem as mesmas providências, concordam?
É fácil, falar dos outros sem olhar o próprio rabo!!!

Fantasia.

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Procurar os membros do Ministério Público que estavam há alguns dias em uma praia paradisíaca, em hotéis cinco estrelas, com quase tudo pago pela Caixa Econômica Federal (ou seja, pelo Governo Federal)? Acho melhor procurarem o Papai Noel, ou o Coelhinho da Páscoa.

Comentários encerrados em 15/11/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.