Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Presos libertados

CNJ encerra maior mutirão carcerário do país

O maior mutirão carcerário realizado até hoje pelo Conselho Nacional de Justiça foi encerrado nesta quinta-feira (4/11), em Belo Horizonte. A mobilização feita entre setembro e outubro analisou 28.830 processos da população carcerária de Minas Gerais. Foram libertados 3.170 presos, o equivalente a mais de 10% de todas as libertações autorizadas pelos mutirões até o momento — cerca de 27 mil. Os números do mutirão forma divulgados em cerimônia, no Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Antes, Walter Nunes, conselheiro do CNJ e coordenador do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (DMF/CNJ), percorreu as instalações do Centro de Remanejamento de Presos da Lagoinha, em São Cristóvão. O objetivo da inspeção foi verificar as condições físicas de aprisionamento.

À tarde, aconteceu um workshop, no Sindicato da Indústria de Construção Pesada, destinado a orientar empresários sobre como funcionará o Programa Começar de Novo, iniciativa do CNJ para reintegrar presos e egressos do sistema penitenciário à sociedade por meio do mercado de trabalho. Os empresários também serão informados de lei estadual mineira que obriga qualquer empresa vencedora de licitação pública a reservar 10% da mão de obra contratada para o projeto para apenados.

Na mesma cerimônia, foram entregues selos a quatro parceiros do programa, que empregam presos e egressos do sistema penitenciário. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

Revista Consultor Jurídico, 5 de novembro de 2010, 8h38

Comentários de leitores

1 comentário

não adiantou nada, pois os presídios já estão cheios novamen

daniel (Outros - Administrativa)

não adiantou nada, pois os presídios já estão cheios novamente.
é necessário acabar com o lobby da Defensoria para que o governo não contrate os analistas jurídicos para atuarem no presídio com autonomia funcional, pois viraram empregados da Defensoria e não podem mais requerer, embora atuem no Presídio e sejam advogados.
TAmbém é preciso que o Atestado de Pena e CAC sejam emitidos pela internet e isto evita a burocracia de se aguardar que se remetam estes documentos por ofício.

Comentários encerrados em 13/11/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.