Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tese de acidente

Médico quer ser testemunha em Júri dos Nardoni

O autor do livro proibido sobre o caso Isabella pediu para o juiz Maurício Fossen, responsável pelo Júri popular de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, para ser testemunha nesta segunda-feira (22/3). Paulo Papandreu encaminhou por e-mail ao magistrado a solicitação para integrar o rol de testemunhas, ao todo, foram arroladas 23 oficialmente. A informação é do portal G1.

No livro “Isabella”, proibido pela Justiça de circular, o médico e escritor gaúcho inocenta o casal pela morte de Isabella. Ele sugere que a menina morreu no dia 29 de março de 2008 devido a um acidente doméstico: Isabella teria caído sozinha da janela do sexto andar do Edifício London, na Zona Norte de São Paulo.

Segundo o autor, é essa versão que Papandreu pretende levar ao júri. Mas por e-mail, o médico informou que “tudo indica que não vou ser aceito como testemunha em prol da Justiça, nem tampouco para testemunhar em sala fechada.”

Para o Ministério Público, no entanto, o que aconteceu no apartamento foi um crime e Alexandre Nardoni e Anna Carolin a Jatobá, respectivamente, pai e madrasta da menina, são acusados de matá-la. Segundo a perícia, Jatobá tentou esganar e asfixiar a enteada e Alexandre atirou a filha inconsciente pela janela que teve a tela de proteção rompida. Ela chegou a ser socorrida com vida, mas morreu a caminho do hospital.

De acordo com a defesa do casal, um ladrão invadiu o apartamento e matou Isabella. Porém, essa terceira pessoa nunca foi encontrada pela polícia. Apesar disso, o advogado dos os réus, Roberto Podval chegou a cogitar a hipótese de utilizar a tese de acidente doméstico para explicar a morte da menina no júri.

O livro de Papandreau foi proibido pela Justiça após uma ação impetrada por Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella. Segundo a advogada Cristina Christo, ela não gostou de saber que Papandreu já havia publicado e vendido cópias de uma obra sobre a morte de sua filha, com a foto dela na capa, sem ao menos ter pedido sua autorização. O G1 apurou que o que há na ação é o valor do processo, para cobrir honorários etc, que é de cerca de R$ 200 mil.

Mesmo assim, Papandreu escreveu outro livro, esse chamado “O Limite”, no qual retrata o caso Isabella, sem usar nomes dos envolvidos.

Revista Consultor Jurídico, 21 de março de 2010, 16h00

Comentários de leitores

2 comentários

O médico paranóico

Silveira Ribeiro (Advogado Autônomo - Civil)

O ministério público deve e a família ofendida pode usar a legislação que protege os direitos coletivos e individuais para coibir a ação predatória contra o equilíbrio jurídico da sociedade, cometida por este médico, que está agindo com evidente má-fé e tirando proveito de sua própria torpeza.
Por estar tumultuando o desempenho adequado do Estado de Direito Democrático, pode e deve ser isolado enquanto dure o caso Nardoni.
Se a mãe da vítima esta legalmente sob tutela do estado em nome da PREVENÇÃO da segurança e estabilidade jurídica, este médico também pode e dever ser isolado porque ha uma inquestionavel tentativa de prestar falso testemunho e disto tirar proveito ilícito, porque êle não presenciou nada, nunca privou com as pessoas envolvidas e nem participou do inquérito como perito.
Que evidência ele arguiu, no seu pedido de inclusão no processo, que tem informações relevantes para elucidar o julgamento ?
O Estado de Direito exige a punição deste cidadão como medida exemplar de vigilia do Judiciário.
Este honrado e competente Juiz que preside o Tribunal do Júri pode e deve, sob o império da norma de direito público, sem esperar a ação do MP ou dos ofendidos, determinar o confinamento deste cidadão enquanto dure o Caso Nardoni.
É o que se espera em nome da defesa da dignidade do Estado de Direito Democrático e da moralidade social.
Márcio.

Paulo Papandreu " O Aproveitador de Histórias"

De Moura I (Estudante de Direito - Tributária)

caro Paulo Papandreu , o Senhor é Pai? tem alma dentro do Senhor? já falou com Deus? acho que não, pois na minha opinião o Senhor não passa de um aproveitador sem alma, que quer se aparecer e se tornar famoso...Tenha um pouco de vergonha e já que gosta de escrever...escreva a verdade, quem sabe ela pode te libertar deste egoísmo...sentimento pobre que o senhor tem...mesmo que este casal seja inocentado pela justiça Brasileira...Deus não falha...neste mundo podre os vermes se unem contra os homens de bom coração, seja um homem e não um verme, escreva a verdade e não mentiras conforme o conteúdo do seu livro.

Comentários encerrados em 29/03/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.