Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cartão de débito

Caixa deve detalhar gasto de cliente em extrato

O Ministério Público Federal assinou um acordo com a Caixa Econômica Federal para que os extratos emitidos para os clientes tenham, até o dia 1º de julho, os dados necessários para identificar os estabelecimentos comerciais favorecidos nas transações de compra de cartão de débito. A idéia informar o cliente de forma precisa sobre as movimentações na sua conta.

De acordo com Termo de Ajustamento de Conduta, os extratos também deverão informar o valor, a data e o horário das compras efetuadas. Em caso de descumprimento do acordo, foi estipulada uma multa diária de R$ 50 mil, sem prejuízo de outras sanções judiciais.

Segundo o MPF, o Banco Central, por meio da Resolução 2.878/2001, determina que as instituições bancárias devam usar terminologia que possibilite ao cliente entender e identificar as operações feitas de forma clara e inequívoca, evidenciando valor, data, local e natureza da operação.

O MPF ressalta que é importante que as instituições bancárias procedam à referida identificação de tal forma a facilitar de maneira mais clara possível, no extrato simples, o acesso às informações por parte do clientes nos terminais de auto-atendimento.

Para o procurador da República Luiz Costa, responsável pelo TAC, é  dever das instituições financeiras o respeito ao Código de Defesa do  Consumidor  “Os consumidores devem ser informados de maneira completa  e precisa das transações que ocorrem em sua conta corrente”, ressaltou Costa. Com informações da Assessoria de Imprensa do Ministério Público Federal em São Paulo.

Leia aqui a íntegra do TAC

Revista Consultor Jurídico, 8 de março de 2010, 16h49

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 16/03/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.