Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Suspeita de vazamento

Segunda fase de Exame da Ordem é anulada

O resultado da reunião a portas fechadas do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, com os presidentes das seccionais, neste domingo (7/3), na sede da OAB, foi o anulamento da segunda fase do exame que habilita bacharéis de Direito a exercer a advocacia. A decisão foi tomada para que seja garantida a credibilidade do exame. As informações são da Agência Brasil.

No dia 28 de fevereiro, em Osasco (SP), um candidato foi flagrado com as respostas de cinco antes da aplicação da segunda fase da prova prática de direito penal que faz parte do exame. O candidato estava com as respostas escritas em um folha de papel escondida em um livro de consulta. Ele foi retirado da sala de prova, mas não revelou como conseguiu as informações. Na ocasião, a OAB em São Paulo suspendeu a correção da prova e a divulgação dos resultados.

“Não consta anulação parcial de uma prova nacional. Se vazou em um lugar, pode ter vazado em outro. É melhor pecar pelo excesso do que pela omissão”, afirmou o presidente. De todas as seccionais, apenas os estados de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul votaram pela anulação apenas da prova de direito penal. Esta foi a primeira vez que o exame é aplicado de forma unificada em todo os estados e no Distrito Federal.

De acordo com Cavalcante, há uma sindicância interna no Cespe, entidade organizadora do exame, para descobrir a origem do vazamento. Além disso, a Polícia Federal também investiga o caso. O presidente da OAB descartou qualquer irregularidade na comissão responsável pelo exame na seccional de São Paulo.

Nova prova

Está marcada para o dia 11 de abril a prova que substituirá a anterior. Não será necessário fazer nova inscrição. Os candidatos serão comunicados da data por meio de editais publicados em jornais de grande circulação pelo Cespe. O custo da nova prova, cerca de R$ 500 mil, ficará por conta do Cespe.

Revista Consultor Jurídico, 7 de março de 2010, 18h22

Comentários de leitores

10 comentários

VERGONHA NACIONAL

Fernando Queiroz (Advogado Autônomo)

A OAB espelha-se na incompetência do ENEM para aplicar seu "honroso exame". O PT fazendo escola.
.
Se a OAB preocupasse somente com os ditames da Lei 8.906/94; seria trabalho demais para a entidade, mas fica procurando holofotes para suas promíscuas manifestações. Levou "tinta" no impedimento do "honesto Arruda".
.
Valho-me de uma frase apropriada, apesar de seu autor ser reconhecidamente preconceituoso: "É uma vergonha!"
.
A quem interessa a unificação? O Amigo URSO embarcou nesta fria por pretensões políticas, etc.
.
A regionalização não seria uma medida mais eficaz? Na questão em comento, milhares de pessoas foram prejudicadas, por incompetência da OAB e do CESPE que, ademais, arrecada fortuna com os R$ 180,00 de cada colega. Caso de "clássico 171"!
.
E as pessoas que se deslocaram em distâncias consideráveis para se submeter à fraude? Certamente a OAB determinará, com toda autoridade AUTORITÁRIA: Cosnta do edital que não serão ressarcidos em nenhuma hipótese! É o Estado Decorático de Direito, uma vergonha.
.
Em SP casos de fraudes são comuns. Recentemente houve fraude em Santos(smj). A questão teve uma solução? Quem teve conhecimento dela? Na oportunidade a VUNESP foi afastada da elaboração da prova; será o caso de afastar também o competente CESPE?
.
Aliás, em matéria de atendimento ao candidato o CESPE é imbatível. Não há companhia telefônica que o supere!
.
A unificação é boa apenas para o CESPE que arrecada MUITO, elabora apenas uma prova, ridícula e, não zela pela seu sigilo.
.
A decisão do zeloso Colégio de Presidentes, segundo a matéria, foi tomada democráticamente, a exemplo daquele perpetrados a partir de 13/12/1968, tão combatidos pela OAB, de outrora; não a submissa de hoje com "portas fechadas".Publicidade dos atos?

exame da OAB e o justo paga pelo pecador

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Quando um unico individuo ( certamente com a intenção de beneficiar donos de cursinhos) tem o poder de anular milhares de provas feitas por bachareis, em todo o país, é porque já chegou a hora desse ridiculo concurso ( com rotulo de exame) acabar.! E quando um presidente de uma associação de classe ( a OAB) decide anular milhares de provas , em total confronto com os principios da legalidade, da razoabilidade e da inocencencia presumida ( baseando-se em teses hipoteticas proprias , em prejuizos de milhares de concursandos) é porque chegou o momento da Ordem dos Advogados do Brasil mudar e mudar para melhor!

dinarte bonetti

Thiago Silva (Outro)

o problema da eliminação natural é o número de clientes lesados com a falta de habilidade e conhecimento do advogado até que este venha a ser "eliminado" pela seleção "natural-profissional"

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/03/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.