Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Briga online

Garotinho critica MP e promotoria rebate em nota

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), classificou a denúncia do Ministério Público contra ele como uma “jogada eleitoreira”, um “espetáculo pirotécnico”. Ele foi acusado de improbidade administrativa. Em resposta, o Ministério Público do Rio de Janeiro divulgou nota para rebater as críticas de Garotinho. Segundo o MP, a denúncia contra o político foi embasada em investigação que durou três anos. A informação é da Folha Online.

A juíza Mirella Letízia Guimarães Vizzini, da 3ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, acatou denúncia do MP e determinou a quebra de sigilo e bloqueio de seus bens e de sua mulher, Rosinha Matheus (PMDB). 

Em seu blog, Garotinho afirma que os mesmos promotores da Tutela Coletiva da Capital, “que armaram uma ação de improbidade administrativa contra Rosinha, e contra os quais, eu entrei com representação no Conselho Nacional do Ministério Público, estão preparando mais uma jogada". Garotinho afirma que a promotoria está a serviço do governador Sérgio Cabral (PMDB) e diz que os promotores entraram com uma ação que já havia sido arquivada pela Justiça.

Já o MP disse que já recorreu de dois processos contra Garotinho extintos pela primeira instância do Judiciário fluminense. Também disse que a ação proposta nesta semana foi baseada em provas já obtidas em outros processos. "Estamos pedindo nessa quinta-feira a devolução do dinheiro desviado, além do pagamento de até R$ 176 milhões aos 88 réus. O bloqueio de bens é para assegurar o andamento do processo", afirmou o MP.  

O caso
As investigações duraram pelo menos três anos. Concluído o trabalho, o Ministério Público estimou em R$ 58 milhões os prejuízos causados aos cofres públicos. Na denúncia, os promotores afirmam ter identificado uma conexão entre o dinheiro usado na pré-campanha do ex-governador à presidência, e verbas que saíram do governo do Estado.

Segundo o MP, duas das empresas que contribuíram para a campanha, a Emprim e a Inconsul, receberam R$ 30 milhões dos cofres do Estado. O MP também afirma que outra empresa, a Teldata, teria agido como intermediária do repasse de recursos das ONGs que prestam serviço ao Estado para a conta do PMDB.

Ainda de acordo com o MP, o esquema, operado entre os anos de 2003 e 2006, começava com a contratação da Fesp (Fundação Escola de Serviço Público) por outros órgãos da administração pública estadual, como as Secretarias de Educação, Segurança Pública e Saúde, o Instituto Vital Brasil, o Detran, a Cedae e a Suderj, para a execução de projetos elaborados em termos vagos e imprecisos que habitualmente envolviam o fornecimento de mão de obra terceirizada.

Entre os denunciados, além do casal Garotinho, está a atriz Deborah Secco. Ela é filha de Ricardo Secco, que vinha sendo investigado pelas relações com a família Garotinho e é apontado pela acusação como gerenciador de todo o esquema, tanto na contratação como no direcionamento de ONGs e responsável por receber o dinheiro.

Revista Consultor Jurídico, 5 de março de 2010, 21h51

Comentários de leitores

3 comentários

SÓ OS GAROTINHOS BRINCAM NESSE PARQUE !?

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

Arruda, PAULO OCTAVIO e César Maia com PEDAGIO LAMSA(RJ), CLN(BA), BNDS, PREVI-BB, INVEPAR, liderados pela OAS, formaram Cartel Nacional pra captar dinheiro em espécie, sem levantar suspeitas, na única fonte possível, os PEDAGIOS. Marcos Valério DNA já implantava os Outdoors do prefeito a presidencia. Primeiro caso de dinheiro na cueca aconteceu no RJ, Policia Federal não "consegue" apurar. DELEGADOS PF-RJ, integrantes do MPERJ, e até JUIZ, abandonam ações levando consigo segredos vitais pra assumir secretarías de Estado-RJ. LULA visita a primeira investida do esquema em parceria com o JUDICIARIO e o MPERJ, o PEDAGIO da AVENIDA CARLOS LACERDA, rivindicando sua parte no C2 e a desistência da candidatura a presidência de Cesar Maia, no embate travado usaram a saúde-Federal como arma de barganha. O povo morrendo a míngua não entende nada do que acontece, imediatamante hospitais de campanha são instalados as ruas pela Marinha na tentativa de socorrer a população, finalmente a liderança do esquema DEM foi negociada e transferido ao GDF que cai parcialmente em Fevereiro-2010.
.
http://sites.google.com/site/arrudafilialriocom/

LEVANTAMENTO REVELA 1.039 SALARIOS NO MP ACIMA DO TETO

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

MPERJ é 1°. da lista no levantamento com 275 membros e servidores com salários acima do teto constitucional
*
ALERJ aprovou, governador sancionou lei prevendo remuneração e gratificações que aumentam os vencimentos totais do MPERJ
*
“SERIA ESSE UM DOS MOTIVOS DA CONIVENCIA DO MPERJ COM O PEDAGIO DA AVENIDA CARLOS LACERDA – LINHA AMARELA/LAMSA (?)”
*
http://jbonline.terra.com.br/extra/2007/06/18/e180620568.html

ENQUANTO ISSO...

Luiz Pereira Carlos (Técnico de Informática)

DOAÇÃO DE CAMPANHA OU CAIXA 2.
*
Na Linha Amarela abaixo das cabines ficam galeria e Caixa Forte pra receber grana arrecadada. Comenta-se noticiosamente, parte destina-se ao cambio, outra subsidia mensalinho e caixa 2 de campanha pra garantir permanência do pedágio na AVENIDA sem interferência jurídica
*
http://sites.google.com/site/arrudafilialriocom/
*
Lei Eleitoral, entidades de classe e empresas que têm contratos com o poder público não podem doar

Comentários encerrados em 13/03/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.