Consultor Jurídico

Comentários de leitores

21 comentários

Ainda há esperança

Directus (Advogado Associado a Escritório)

Parabéns a Olhovivo, Observador, Republicano, André, Ilton, FátimaS, daniel, ADM, Marcelo Poy e Neli. Comentaram com o cérebro, não com o fígado. São críticos honestos, não hipócritas. São, em resumo, um exemplo para os demais.
A tática comunista sempre foi essa: destruir o que não se pode controlar. No stalinismo, os alvos eram a Igreja e o Direito. Agora, são os juízes, cujas responsabilidades e atribuições não são compreendidas por qualquer um.

quieto, ministro

Republicano (Professor)

Teve uma boa oportunidade de ficar quieto, ministro.

Cria do PT que defende monopólio de pobre

daniel (Outros - Administrativa)

Cria do PT que defende monopólio de pobre .
E a Defensoria que pode captar clientela e fazer publicidade, mas a advocacia privada não pode ?
E os planos de assistência jurídica ??
O Ministério da Justiça somente vai melhorar quando estes vermelhinhos do PT saírem de lá.
Defensor Público em RJ também tem 60 dias de férias e ninguém fala nada !! e a DPU também está pleiteando 60 dias de férias e ninguém fala nada !! Curioso....

Sabe o que é curioso

Olho clínico (Outros)

Quando é para tirar direitos, os juízes são comparados a trabalhadores ditos "comuns". Mas, quando é para dar responsabilidades e cobranças, aís são tidos como uma classe especial, blábláblá. ORA, JUÍZES SÃO TRABALHADORS COMUNS, OU DELES SE PODE E DEVE EXIGIR CONDUTA, POSTURA E ALGO QUE NÃO SE PODE DOS DEMAIS? Se for a segunda opçõa, é óbvio, lógico que devem ter algumas regalias que os outros não têm. Se forem comuns, quando pisar na bola, o juiz não deve servir de exemplo, não pode ser nem metade do que é criticado, pois outros segmentos comuns, também já não dão exemplo. Quanta hipocrisia nisso tudo....querem tirar tudo o que têm, e exigir mais do que exigem os outros...

Vamos falar sério

Olho clínico (Outros)

Enfim,tal qual um operário ou executivo então, sem 2 meses de férias, juízes teriam que ganhar hora extra, sobre aviso, plantão, e TODOS os demais direitos de outros trabalhadores, por júris além da jornada de trabalho, audiências extensas, etc...etc...etc...Mas isso ninguém fala. Não sei porque o Ministro não ataca os Parlamentares, que em várias repostagens jornalísticas, quando de idas ao Congresso em dias de semana ou véspera de feriado, este estava VAZIO. Mas isso não se critica.

FÉRIAS PESSOAL OU RECESSO FORENSE?

Antônio Macedo (Outros)

Pelo o que entendo, o juiz, como qualquer trabalhador, tem direito a 30 dias férias depois do período aquisitivo de 12 meses de trabalho. O resto só pde ser recesso forense, o qual é necessário até mesmo para os pequenos escritórios de advocacia em que trabalha um único profissional. Sem esse recesso, fica impossível a ele tirar uns dias de férias para descansar de seu árduo trabalho profissional.

o que é pior

Neli (Procurador do Município)

O que é pior para os bons juízes e para a população em geral,todos se calam,num silêncio cúmplice: o juiz ,que pisoteou na lei penal,ser apenado gostosamente com a aposentadoria proporcional.
Quanto às férias de sessenta dias é o de menos,repiso-me,deveria haver uma reforma na Constituição e na LOMN para acabar com esse absurdo:juiz condenado criminalmente,ou um péssimo juiz, aposentado com salários proporcionais.
Isso é um absurdo e não percebo pessoas de bem e autoridades contra isso.
Outro ponto: políticos ou não,sendo nomeados para os tribunais superiores.
Outro ponto:tem que acabar com o quinto.
Uma pessoa que nunca julgou,tendo acesso facilitado,pq exerce algum cargo público,galga um tribunal.
Se a pessoa,por toda a vida,foi membro do MP ou advogado,é um absurdo ser ,no final da carreira,desembargador ou ministros dos tribunais supeiores.
Se se a pessoa tem o dom para a magistratura,por quê não prestar concurso?
Discordo da manifestação,portanto,do ministro da justiça.

Entendimento

M.P. (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Eu tb não entendo porque investe-se R$ 30 bilhões em maravilhosos caças de acrobacia quando se precisa:
1-) investir na segurança de fronteira, com veículos, helicópteros e pequenos aviões de patrulhamento, armamento de "gente grande", cães farejadores e câmeras, o mesmo ocorrendo nas rodovias federais,
2-) construir 30 prisões de segurança máxima para abrigar 5 mil presos perigossíssimos;
3-) investir em tecnologia para integrar os sistemas de segurança pública dos governos estaduais.
Aliás, eu não entendo nada. O Ministro é que entende.

Dr. JOSÉ CLÁUDIO!!!

Manente (Advogado Autônomo)

Esta foi uma opção escolhida. Agora não adianta reclamar. Afinal, grande parte dos brasileiros, não têm os mesmos privilégios que vocês, tais como: aposentadoria integral, os quinquênios, etc.
Certamente, existem centenas e centenas de pessoas, que embora, não tiveram as mesmas oportunidades que o senhor, trabalhariam sábados, domingos e feriados sem reclamar.
Vocês choram de barriga CHEIA!!!!!!!!!

Será por que?

André (Estagiário - Empresarial)

Por que será que ele não entende o motivo das férias diferenciadas dos juízes?
Bom, antes de indagar, há uma solução simples para acabar com a dúvida do Ilmo. Ministro.
Peguemos todos os processos que correm sob a responsabilidade de um Juiz de Direito, e coloquemos sobre a mesa de S.Exª. Dessa forma, não haverá dúvida e poderá este senhor falar sobre algo que, aí sim, ele terá conhecimento de causa.
É a velha mania dos órgãos de governo que, a despeito de possuir competência, pretendem apreciar questões há muito distantes de sua compreensão."É como dar faca na mão de criança. Ela até sabe para o que serve, porém, certamente não fará bom uso dela."

claro

ilton (Defensor Público Estadual)

Não entende porque nunca exerceu o cargo.

ELE TRABALHA DURO

olhovivo (Outros)

Ele "DISCUTE a situação dos indígenas..., AVALIA a crise..., RECEBE uma comissão para tratar..., SENTA com empresários para harmonizar..., CONVERSA com a Polícia..." e bla-bla-blá. Puxa, esse "trabalho" até eu iria querer, sem precisar tirar nem 15 dias de férias.

Ignorância ou má fé?

FátimaS (Juiz do Trabalho de 1ª. Instância)

Um Ministro da Justiça deveria saber que não se trata de privilégio mas de determinação legal. Deveria saber também que existem várias profissões regulamentadas, com jornada de trabalho reduzida: jornalista, médico, professor etc. E quando falamos de férias não podemos esquecer que, além dos juízes, também os representantes do Ministério Público, parlamentares e professores têm direito a férias de mais de 30 dias.

Filho do PT que defende monopólio de pobre

daniel (Outros - Administrativa)

Filho do PT que defende monopólio de pobre .
E a Defensoria que pode captar clientela e fazer publicidade, mas a advocacia privada não pode ?
E os planos de assistência jurídica ??
O Ministério da Justiça somente vai melhorar quando estes vermelhinhos do PT saírem de lá.
Defensor Público em RJ também tem 60 dias de férias e ninguém fala nada !! e a DPU também está pleiteando 60 dias de férias e ninguém fala nada !! Curioso....

Respondo à pergunta do ministro

Armando do Prado (Professor)

Têm 60 dias de férias porque se consideram deuses, infensos aos controles humanos. Enquanto isso, nós os humanos e o senhor ministro, precismaos trabalhar todos os dias e, se registrados com CT, teremos no máximo 30 dias. Deuses estão acima do bem e do mal.
.
Detalhe: o Olimpo dos que têm direito a 60 dias de férias não é formado apenas por juízes, mas também pelos inatingíveis promotores.

mera secretaria de Estado

Republicano (Professor)

Isso se chama prepotência e despreparo, talvez. Não sei por quê, também, ministro, existe uma secretaria de reforma de outro Poder (o Judiciário), no ministério da Justiça. Pode? O Judiciário precisa reagir, não dá mais para apanhar e ficar quieto. Os juízes, acostumados a esperar os fatos, a serem provocados etc., devem mudar urgentemente, sob pena de dever vênias a todos. Ou o Judiciário passa a reagir aos ataques ou aceita a função de mera secretaria de Estado e prestador de serviços, sem autonomia, sem direito a nortear políticas públicas.

cartão de ponto

José Cláudio (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Com o devido respeito ao Ministro da Justiça, penso que os 60 dias de férias se faz necessário. Hoje é domingo, Dia das Mães, e estou trabalhando desde as 6hs da manhã. De fato, será muito mais vantajoso termos horário de entrada e de saída, inclusive com cartão de ponto, e podermos ir embora pra casa sem levar um só processo.

Filho do PT que defende monopólio de pobre

daniel (Outros - Administrativa)

Filho do PT que defende monopólio de pobre .
E a Defensoria que pode captar clientela e fazer publicidade, mas a advocacia privada não pode ?
E os planos de assistência jurídica ??
O Ministério da Justiça somente vai melhorar quando estes vermelhinhos do PT saírem de lá.

carga de trabalho

Ricardo T. (Outros)

Concordo com o Ministro. Porém, sabe-se que muitos juízes trabalham nas férias, finais de semana e mais de 10 horas por dia. Conheço um promotor, que também tem 60 dias de férias, que ele está torcendo para ter apenas 30 dias de férias e muitos juízes também, porque vão folgar todo final de semana e trabalhar 8 horas por dia e tirar 30 dias de férias na praia. Dizem eles que as prateleiras vão lotar ainda mais. Peço manifestação dos promotores e juízes a respeito.

isonomia

Moisés Anderson (Juiz Federal de 1ª. Instância)

eu também não entendo porquê: advogado tem que ter jornada de trabalho de quatro horas; delegado e agente da pf, licença-prêmio; bancário, jornada de 30 horas semanais; professor ter aposentadoria especial; médico, quatro horas de jornada; titular de cartório receber trezentos mil por mês; promotor e procurador ter férias e licença-prêmio; parlamentares terem quase 90 dias de recessos anuais, incluindo recessos brancos a cada dois anos, por conta de eleições, verbas indenizatórias sem justificativa de gasto e sessões em três dias da semana, se não as especificidades de suas funções; jornalista ter jornada de cinco horas diárias.
eu não entendo porquê juízes não tem direito a compensar plantão judiciário, trabalhados aos domingos e feriados, mesmo quando Deus descansou no sétimo dia.
eu não entendo porquê no executivo paga-se horas extras e aos juízes, não.

Comentar

Comentários encerrados em 17/05/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.