Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Operação Silêncio da Imprensa !

Drosobr (Funcionário público)

Temos aqui mais uma fonte "Chapa Branca", com redação voltada ao agrado do poder estatal ! Que subserviência vergonhosa !

vergonha

observador_paulista (Outros)

A pessoa que redigiu a nota oficial do TJSP deveria ter vergonha de veicular tantas mentiras e meias-verdades... Impedir a entrada de comida e água potável aos servidores que ocuparam (e não invadiram, como equivocadamente se alardeia por aí) é ato abominável, que nem na época dos senhores de escravos era admitida!
Gostaria de saber porque a cúpula do TJ não utilizou essa truculência toda quando do corte no orçamento do Judiciário promovido pelo Executivo (como os TJs de outros Estados fizeram, acionando o STF e revertendo tal proceder ilícito dos governadores)...

ABUSO E DESCASO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SP

LILIAN SOUZA (Outro)

Nesta matéria está exposta a versão do TJ/SP, só esqueceram de comentar que foram compradas pizzas para os servidores que invadiram o prédio, mas que os seguranças pisotearam as pizzas e impediram que entrasse qualquer alimento aos servidores que foram tratados sem qualquer sinal de humanidade. Este foi um ato de puro desespero de alguns colegas que não aguentam mais assistir o descaso com os funcionários no órgão onde a justiça deveria reinar absoluta. Estamos há anos sem aumentos enquanto aumentos escandalosos tem sido dado nos últimos anos aos magistrados, cuja "maioria" trata os servidores como se fossem meros serviçais, massacrando funcionários com constantes ameaças de "Processo administrativo". Até quando vamos ter que aguentar esse verdadeiro abuso???

Correções

Fernanda Fernandes Estrela (Assessor Técnico)

1) Na frase: "O grupo de grevistas que invadiu o fórum João Mendes, na região central da cpaital paulista, na quarta-feira (9/6), decidiram não passar o fim de semana acampados e desocuparam o prédio no início da tarde desta sexta-feira (11/6)." A palavra "decidiram" faz errada a frase. O correto é: "O grupo de grevistas... que invadiu....DECIDIU...". O verbo refere-se ao sujeito 'grupo'. 2) Na frase: "Os grevistas reivindicam a recomposição de supostas perdas salariais, com um reajuste de 20,16%, além da suspensão do desconto em filha dos dias não trabalhados na greve." A palavra "supostas" só pode ser obra de quem desconhece o tema, pois qualquer trabalhador há 2 anos sem reposição de perdas salariais inflacionárias, CERTA e não supostamente teve perdas salariais. Logo, 2 + 2 = 4. Logo, não há suposição quanto à motivação da greve. Há motivo muito bem fundamentado e visível a qualquer um que conheça a Constituição Federal de 1988, vigente em nosso país (o Brasil). 3) Na frase: "...que estão em greve desde o dia 28 de maio." consta a data errada; a greve começou dia 28 de abril de 2010, por decisão de Assembléia. 4) Na frase: "... em decorrência da invasão do Fórum João Mendes..." a palavra "invasão" faz clara alusão à violência, rompimento de obstáculo, o que não houve; em verdade, o que é de conhecimento público, é que os funcionários "ocuparam pacificamente" o prédio, que encontrava-se com as portas abertas, sem trancas, de forma que não houve invasão. 5) Na frase: "...desconto em filha dos dias..." desconto em FOLHA.
Fiz estes comentários pois estou francamente cansada de ver notícias aqui com dados informativos incorretos, de forma que acredito ter ajudado a esclarecer a opinião pública. Quanto à digitação, cabe ao revisor cuidar.

Esclarecimento à imprensa e à população

Eliseu (Cartorário)

A Constituição assegura a todos os servidores públicos a revisão geral anual de sua remuneração, sempre na mesma data e sem distinção de índices (art. 37, X, segunda parte). A lei estadual em vigor referente a data-base (reposição da inflação oficial) dos servidores do judiciário dos anos de 2009/2010 não foram cumpridas(desrespeitadas), sem falar dos anos anteriores cujo reajuste foi concedido à menor, perfazendo atualmente em 20,16%. A Lei de Planos de Cargos e Carreiras do Poder Judiciário, decorrente do PLC 43/05, aprovada em 25/5/10, pelo próprio ano se constata, desde 2005 estava na ALSP precisou a greve eclodir em 28/04/2010...(não vai precisar nem comentar), foi aprovada pela ALSP uma reclassificação, em termos financeiros pífio. Enquanto outros projetos de interesse da cúpula do TJ, são aprovados obedecendo o famoso princípio da "celeridade ...". Os funcionários..."são funcionários concursados do TJ", não só deste presidente. O anterior nem recebeu as associações e o sindicato, como é cediço, quem comanda o TJ é o colegiado formado pelo Orgão Especial(25 desembargadores) e não só pelo presidente. As associações e sindicato foram recebidos...foram, quanto a constitutição federal e a lei estadual foram desrespeitadas.... sim. Hoje, os servidores só exercem o direito de greve porque a Constituição Federal e a Lei Estadual da data-base (reposição da inflação oficial) foram violadas. Pelo que se constata, os funcionários estão pelo menos 02 anos sem nenhum centavo de reposição salárial, isso é indefensável. Em um país que a inflação oficial é bem menor do que a real, como já disse um famoso jornalista "isso é uma vergonha....Finalmente, conclamo às autoridades, que revejam suas posições (É sábio o mudar de opinião).

Comentar

Comentários encerrados em 20/06/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.