Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Jovem reincidente

Inglês condenado pela morte de criança volta à prisão

Jon Venables, uma das duas crianças condenadas pela morte de um bebê de dois anos, em 1993 em Liverpool, foi condenado novamente nesta sexta-feira (23/7). Dessa vez, ele cumprirá dois anos de prisão por posse de imagens de pornografia infantil. Ele estava em liberdade condicional desde 2001, como informa a agência de notícia AFP.

Venables, de 27 anos, foi considerado culpado nesta sexta-feira pelo Tribunal de Old Bailey por ter baixado na internet 57 fotografias e vídeos pornográficos de crianças, entre fevereiro de 2009 e fevereiro de 2010. Ele também admitiu ter distribuído 42 imagens indecentes de jovens.

O réu assistiu ao seu julgamento por vídeo, da prisão para onde retornou no fim de fevereiro. De forma incomum, apenas o juiz pôde vê-lo durante a curta audiência, já que, depois da condenação pela morte da criança de 10 anos, ele recebeu uma nova identidade protegida por uma decisão da Justiça.

Jon Venables foi condenado junto com Robert Thompson pelo assassinato do pequeno James Bulger em 1993, quando os dois tinham apenas 10 anos. Bulger foi espancado até a morte em uma estrada de ferro de Liverpool (noroeste da Inglaterra). Os dois condenados, odiados em toda a Grã-Bretanha, receberam novas identidades e ganharam a liberdade condicional há nove anos.

Venables voltou para a prisão em fevereiro devido a alegações "extremamente graves", como declarou o ministro da Justiça na época Jack Straw, sem dar mais detalhes na época.

Algumas das imagens pornográficas encontradas no computador de Venables envolviam crianças de apenas dois anos. Em declaração lida pelo seu advogado John Gibson, Venables assegurou que está "arrependido" em relação a este novo caso e disse que pensa "todos os dias" em James Bulger.

Segundo o advogado, Venables se sentiu desprotegido após a sua soltura em 2001 e viu seu retorno à prisão como "uma espécie de alívio".

Revista Consultor Jurídico, 23 de julho de 2010, 14h48

Comentários de leitores

1 comentário

Toda a verdade sobre o Caso Craig Alden

www.eyelegal.tk (Outros)

O cidadão britânico Craig Eliot Alden foi condenado no Brasil a quase 50 anos de prisão. Ele pagou por crimes que não cometeu. A Justiça brasileira não quer ouvir nada sobre esse caso. Todos os advogados que atuaram nos seus processos o prejudicaram. A sua revisão criminal foi indeferida por falta de uma simples procuração.
.
http://eyelegal.orgfree.com/pages/hc_93398.html
.
Equipe eyeLegal

Comentários encerrados em 31/07/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.