Consultor Jurídico

Notícias

Revista obrigatória

Segurança barra conselheiro do CNJ em Fórum de Belém

O conselheiro Jefferson Kravchychyn, do Conselho Nacional de Justiça, foi impedido de entrar no Fórum Cível de Belém, no Pará, por um segurança do local. Segundo Kravchychyn, ele entrou nas instalações para conhecer o espaço. Mas, ao deparar com o segurança e se identificar como advogado, foi barrado para revista.

No mesmo momento, o segurança afirmou que foi instruído pela direção a proceder desta maneira com  todos os advogados. O representante da OAB no Conselho qualificou o ato como “discriminatório”, já que juízes e membros do Ministério Público não passam pelo mesmo procedimento.

Kravchychyn defende que o acesso dos advogados a processos e a prédios em que funcionam o Poder Judiciário deveria ser mais ágil. "Não estamos questionando o mérito do trabalho do Judiciário, mas sim a forma como esse trabalho vem sendo realizado", disse.

Ele ressaltou que o CNJ faz visitas aos diversos Estados do país para conhecer a realidade do Poder Judiciário em cada um deles. De acordo com o conselheiro, esse tipo de procedimento é importante para padronização das normas. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Revista Consultor Jurídico, 20 de janeiro de 2010, 16h39

Comentários de leitores

6 comentários

Não somos o mesmo.

rodem (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Sr. Lima: Pode crer que não somos os mesmos. Nem conheço esse Cássio Novaes. A inveja pelo jeito não é nossa, mas sua. Vem no Fórum onde eu sou o Diretor e certamente o Sr. não iria cantar de galo. Tem muito poste urinando no cachorro, esse é o prblema nacional. Seus comentários são extremamente ofensivos e deveriam ser excluídos de acordo com as regras do site.

Ignóbeis de plantão

Lima (Advogado Autônomo - Tributária)

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Nota da Redação - Comentário ofensivo Nota da redação

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Matéria inútil, sensacionalista!

Jurista_ (Professor)

Eu agiria da mesma forma, pois o Fórum é local de trabalho do Juiz e do Promotor, não havendo razão alguma para que seja revistado. O mesmo não se pode dizer do Advogado, que faz o que bem quiser "no seu escritório". Há Advogados que usam de suas prerrogativas para levar armas e drogas para presos e não são poucos os casos de atentados dentro dos fórus por parte de partes mal intencionadas. Discriminação seria revistar os jurisdicionados e não os Advogados. Afinal, quem é o Diretor do Fórum. Igualdade de tratamento é uma coisa, mas igualdade de atribuições e competências é outra.
Querem afrontar ou pôr os juízes sempre contra a parede, numa tentativa infeliz de tentar colocar o advogado como vítima e o juiz como o vilão.
Essas notícias poderião nem ser divulgadas, isso atenta contra isenção valorativa da informação, que pelo texto se percebe existir.
Espero que não me censure desta vez. Pelo menos copiei no paint.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/01/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.