Consultor Jurídico

Notícias

Dalva e Herivelto

Filha de cantora processa a Globo por minissérie

Depois de tentar, sem sucesso, impedir a veiculação da minissérie Dalva e Herivelto - Uma Canção de Amor, Dalva Lúcia Climent, filha da cantora Dalva de Oliveira com o comediante argentino Tito Climent, está movendo um processo contra a Rede Globo. Ela alega que não foi consultada para autorizar a elaboração da minissérie que conta a vida de sua mãe. A história foi ao ar no começo de janeiro.

Em dezembro, a juíza Ione Pernes, da 37ª Vara Cível do Rio de Janeiro, negou antecipação de tutela a ela depois de analisar a inicial e os documentos levados aos autos. “Não é possível aferir-se o desrespeito à artista na abordagem de sua vida, culminando na violação de sua honra”, disse a juíza. “A retratada é figura pública, e desta forma, se aspectos como o alcoolismo e a violência doméstica fizeram parte de sua trajetória, tais fatos poderão ser abordados pela suplicada, sem que necessariamente haja o comprometimento da honra pessoal da artista, sendo certo que nem a própria suplicante conhece o conteúdo da minissérie”, afirmou a juíza à época.

A juíza levou em consideração, ainda, a liberdade de expressão e de livre manifestação de pensamento, garantidos constitucionalmente, e o direito das pessoas de serem bem informadas.

Dalva Climent não foi mencionada pela minissérie porque ainda não havia nascido na época retratada. Segundo a coluna Outro Canal, do jornal Folha de S. Paulo, ela está movendo um processo contra Pery e Ubiratan Ribeiro, filhos de Dalva e Herivelto, mostrados pela minissérie, para ser reconhecida como filha e ter direito a receber pelas músicas. Segundo sua advogada, Shirlei Weisz, "ela mora na favela de Vigário Geral em estado de miserabilidade e está com câncer".

Revista Consultor Jurídico, 19 de janeiro de 2010, 11h44

Comentários de leitores

1 comentário

Nada além dos 5 minutos de fama

carranca (Bacharel - Administrativa)

Sempre me vem à mente a famosa frase do, então jogador de futebol "Gerson", na época era interessante mas ao decorrer dos anos tornou-se sinônimo de "corrupção", acredito até que o mesmo esteja absolutamente arrependido de tê-la dito...
Meu objetivo em relembrar tal frase reside neste caso específico e em outros tantos que são muitíssimo bem definidos ou seja "A Lei da Vantagem", qualquer que seja o fim sem pensar nos meios
Sem mais à dizer ou escrever
Carranca

Comentários encerrados em 27/01/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.