Consultor Jurídico

Notícias

Exame de Ordem

Provas passam a abordar ética e direitos humanos

A OAB informou, nesta quinta-feira (7/1), que as provas do Exame de Ordem vão conter questões sobre direitos humanos, direitos fundamentais e ética profissional. A alteração foi regulamentada, em 2009, pelo Conselho Federal e passa a valer para os exames de 2010.

O presidente nacional da OAB, Cezar Britto, disse que a alteração será importante para o avanço na qualidade do ensino jurídico no país e, particularmente, para o aprimoramento da grade curricular das faculdades. "Com isso, vamos focar em quem está investindo em colocar em seus currículos o conceito de humanidade, o que influenciará, a médio e a longo prazo, as profissões do Direito já que o estudante terá esse conceito para passar no Exame de Ordem", disse.

Para ele, a inclusão dessas disciplinas, a partir de 2010, e suas consequências positivas para o ensino jurídico, serão propiciadas em grande parte pela unificação das provas do Exame de Ordem. "Com a unificação, haverá agora um diagnóstico confiável e único de todo o Brasil. Sabemos que a qualidade daquele que se formou no Amazonas é a mesma daquele que foi aprovado no Rio Grande do Sul", afirmou.

Para ele, é importante que a qualidade da formação seja a mesma. Isso porque, diz, no passado, candidatos se inscreviam para o Exame de Ordem na seccional onde acreditavam que seria mais fácil de obter a aprovação. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Revista Consultor Jurídico, 7 de janeiro de 2010, 12h12

Comentários de leitores

9 comentários

O exame de ordem é necessário

Ed Gonçalves (Bacharel)

Pergunta que não quer calar, com todo o respeito: faria sentido alguém que escreve "paíz" por "país" defender a constitucionalidade do Exame de Ordem?

IGNORÂNCIA TEM CURA !

Raul Haidar (Advogado Autônomo)

O Exame de Ordem é constitucimoal e legal. Já há várias decisões judiciais nesse sentido. Mas além de tudo é essencial. Não como "reserva de mercado", expressão usada aqui por um comentarista que desconhece as regras fundamentais do nosso idioma, mas como uma forma de impedir que semi-analfabetos se tornem advogados. Pessoas há que concluem a Faculdade sem saber o básico do direito. Tais apedeutas colocariam em risco a liberdade, o patrimonio e a honra de seus clientes, assim transformados em vítimas. O Exame de Ordem é indispensável. E a experiência da Advocacia vai sendo estudada para implantação em outras profissões igualmente vítimas do mercantilismo do ensino dito superior. Já há exames similares para os Contadores e outras profissões andam na mesma direção. Recentemente um exame, mesmo não obrigatório, para medicos formados recentemente, revelou que bboa parte deles não sabe sequer fazer um atendimento básico de emergência...Seria recomendável que estudantes de direito que não sabem regras de gramática procurassem estudá-las antes de vir aqui criticar o que desconhecem. Não se sintam ofendidas essas pessoas, pois como vítimas que são do ensino deficiente, devem ser respeitadas e se possível ajudadas. Todos nascemos ignorantes e analfabetos (até a mãe do Presidente..rsrsrs...) . Mas o ensino existe para resolver tais questões. Basta que o interessado se dedique. Ignorância tem cura!

quem acha inconstitucional é porque não estudou....

daniel (Outros - Administrativa)

quem acha inconstitucional é porque não estudou....
Faculdade de Direito não forma advogado, mas sim bacharel em Direito, logo a OAB tem razão em fazer Exame.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/01/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.