Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Poder feminino

Dilma é diplomada no Tribunal Superior Eleitoral

Solenidade de diplomação da presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff - Carlos Humbert/ASICS/TSENa tarde desta sexta aconteceu a cerimônia de diplomação da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) e de seu vice, Michel Temer. Cerca de 250 pessoas, entre familiares e autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário, compareceram ao edifício-sede do Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília (DF).

Os ministros do TSE foram as primeiras autoridades a ocupar seus lugares no plenário. Logo depois, o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, abriu a sessão solene. Em seguida, entraram a presidente eleita Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, conduzidos pelos ministros Arnaldo Versiani e Cármen Lúcia.

Após receber o diploma de posse, a nova presidente do Brasil, Dilma Rousseff, disse, em breve discurso: “Honrar as mulheres, cuidar dos mais frágeis e governar para todos é o que me anima e estimula ao trabalho dos próximos anos”. Ela salientou que “a lisura, a eficiência e a confiabilidade da nossa Justiça Eleitoral já são reconhecidas em todo o mundo”.

Em nome dos ministros que integram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o presidente Ricardo Lewandowski desejou aos diplomados Dilma Rousseff e Michel Temer, presidente e vice-presidente da República, “sucesso e felicidade” no desempenho da função para a qual foram eleitos.

Entre as autoridades que acompanham a solenidade estavam os presidentes do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso, do Senado Federal, José Sarney, da Câmara dos Deputados, Marco Maia, do Superior Tribunal de Justiça, Ari pargendler, do Superior Tribunal Militar, Carlos Alberto Marques Soares, do Tribunal Superior do Trabalho, Milton Moura França, da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcanti, e do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, Luis Mariosi, além do advogado-geral da União, Luis Inácio Adams, e do ministro da Justiça, Nelson Jobim. Com informações da Assessoria de Imprensa do TSE

Leia o discurso de Dilma:

“Exmo Sr. Ricardo Lewandowsky, Presidente do Tribunal Superior Eleitoral.
Ministros membros do TSE.
Vice-presidente eleito Michel Temer.
Exmo Sr. José Sarney, presidente do Congresso Nacional.
Autoridades e Lideranças aqui presentes.
Amigos e amigas jornalistas.
Senhoras e Senhores,

É uma grande emoção receber este diploma da Corte responsável pelo processo eleitoral brasileiro.

A lisura, a eficiência e a confiabilidade da nossa Justiça Eleitoral já são reconhecidas em todo o mundo. O uso da tecnologia a serviço do sagrado direito do voto é uma inovação verde e amarela que desperta crescente interesse das democracias.

As eleições constituem o momento mais rico do processo democrático. Elas propiciam o debate das grandes questões nacionais e o debate de um projeto para o futuro do país, permitindo o julgamento soberano do eleitor.

Este julgamento, que já levou importantes estadistas e diferentes lideranças ao posto mais alto da República, experimentou nos últimos anos a esperança e a ousadia ao levar um trabalhador à Presidência da República. Quanto orgulho temos os brasileiros e as brasileiras de ver um homem do povo conduzindo o país para um momento de tão extraordinário avanço social e econômico.

E foi esse mesmo sentimento de mudança e avanço que fez o povo eleger agora uma mulher presidenta. Para além de minha pessoa, esse fato demonstra a crescente maturidade da nossa democracia. Esse fato rompe com preconceitos, desafia os limites e enche de esperança um povo sofrido e também de orgulho às mulheres brasileiras. Esse povo sofrido é um povo também de elevada auto-estima, de enorme disposição de trabalho, cheio de esperança de um futuro que já começou a chegar.

Recebo este diploma com alegria e humildade e uma enorme disposição de empenhar todo meu esforço para retribuir a confiança recebida nas urnas. Honrar as mulheres, cuidar dos mais frágeis e governar para todos é o que me anima e estimula ao trabalho nos próximos anos.

Quero dedicar todo meu carinho e empenho aos desejos mais justos e destacados das famílias brasileiras: à educação das crianças e jovens, à segurança das nossas comunidades e à saúde de todos os brasileiros.

Cuidarei da estabilidade econômica e do investimento, tão necessários ao crescimento e ao emprego. Defenderei sempre a liberdade de manifestação, de imprensa e de culto. Mas reafirmo que nenhuma estratégia política ou econômica é efetiva se não se refletir diretamente e concretamente na vida de cada trabalhador, de cada trabalhadora, de cada empresário, de cada família e de todas as regiões desse imenso e generoso nosso país.

Sei que há muitas expectativas sobre o governo que iniciaremos em janeiro próximo. Sei da responsabilidade de suceder um governante da estatura do Presidente Lula. Sei dos imensos desafios que nosso futuro comporta. Mas se pensarmos o que cada um de nós pode e podemos fazer pelo Brasil vamos descobrir uma força infinita, que a cada momento se alimenta e se renova: a força da União, de nosso país, de nossa Nação, de nossa sociedade para avançar. União para crescer. União para encontrar novos e melhores caminhos.

Nesse momento em que recebo o diploma mais alto da democracia quero reparti-lo com cada brasileiro e em especial com cada brasileira para dizer que, pelo Brasil, conto com todos e todas e que todos e todas podem contar comigo.

Muito obrigada."

Revista Consultor Jurídico, 17 de dezembro de 2010, 18h48

Comentários de leitores

2 comentários

LISURA DE QUÊ?

Fernando Bornéo (Advogado Autônomo)

Tem gente que vai dizer que Dilma Rousef é sem noção. Mas terá também quem diga que o discurso precisa ser repetido para transformar em verdade a mentira que disse. Quem disse que sistema eleitoral brasileiro é reconhecido e aprovado em todo o mundo? Acho que a Presidente eleita ou perdeu completamente a noção ou está sendo instruída a dizer isso. E não preciso ir muito longe para fazer a assertiva que fiz, haja vista que estou buscando, junto ao TRE/RJ, a anulação do pleito, até porque o TSE publicou dois resultados finais, um dos quais conseguimos pegar que desaparecei logo a seguir, onde não haviam sido computados um único voto para a Presidência da República. Não é estranho que um memory card extraído das máquinas de votação não revelem um único voto para o cargo de Presidente? O sistema é falho, não é utilizado em nenhum país do mundo, excedo na Venezuela, onde governa, com mão de ferro, o sócio de Lula, e só o Brasil, com seu bando de idiotas, enaltecem o sistema fraudulento que permiti a manipulação de resultados..

Chorem tucanalhanas!

Armando do Prado (Professor)

Aguardem que 2014 chega rápido.

Comentários encerrados em 25/12/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.