Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dívidas trabalhistas

Fazenda de dono da Vasp é vendida por R$ 310 milhões

A Fazenda Piratininga, propriedade que pertencia à empresa Agropecuária Vale do Araguaia, foi vendida nesta quarta-feira (15/12) por R$ 310 milhões. O nome do comprador não foi divulgado a pedido do novo proprietário.A fazenda foi a leilão para garantir o pagamento de dívidas trabalhistas da empresa aérea Vasp, que teve sua falência decretada em 2008. Tanto a fazenda quanto a Vasp eram de propriedadedo empresário Vagner Canhedo.

A venda ocorreu durante uma reunião entre investidores interessados e a juíza Elisa Maria Secco Andreoni, juntamente com representantes do Sindicato dos Aeroviários e do Sindicato dos Aeronautas e com os procuradores do Ministério Público do Trabalho Carolina Mercante e Gustavo Garcia.

Iniciada às 14h, a reunião teve duração de mais de quatro horas e contou com a presença de três grupos interessados que ofereceram propostas para a compra, em valores a partir de R$200 milhões. Após longa disputa entre os grupos, foi vencedora proposta de de R$310 milhões, sendo R$ 60 milhões como sinal e o restante dividido em cinco parcelas anuais.

A proposta foi aceita pelos representantes dos sindicatos e o valor do sinal será efetuado pela empresa compradora via TED na quinta-feira (16/12). A quantia será utilizada para o pagamento de milhares de credores trabalhistas da empresa área Vasp. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-SP.

Revista Consultor Jurídico, 15 de dezembro de 2010, 20h57

Comentários de leitores

1 comentário

Fazenda comprada por Laranjas . . .

Ricardo, aposentado (Outros)

É sabido que o empresário Wagner Canhedo fêz o que pôde para obstaculizar a venda da fazenda.
Daí, é para não ser descartada a possibilidade de a fazenda ter sido comprada pelo próprio Wagner Canhedo, por intermédio de interpostas pessoas ou um grupo empresarial, chamados "laranjas".

Comentários encerrados em 23/12/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.