Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Fraudes na Previdência

Bens da quadrilha de Jorgina de Freitas vão a leilão

Os bens de Terezinha de Jesus Freitas de Carvalho, da mesma quadrilha de Jorgina de Freitas, que fraudava a Previdência, serão leiloados. A decisão é do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e diz respeito a cinco imóveis avaliados em mais de R$ 4 milhões. O leilão deve ocorrer no prazo de 60 dias. A data será marcada assim que houver a intimação de Terezinha, dos eventuais ocupantes dos imóveis e de possíveis credores. Após as intimações, a leiloeira deverá expedir edital e propaganda para divulgação da data.

Os imóveis que irão a leilão são dois apartamentos em Ipanema avaliados em R$ 2 milhões e R$ 1 milhão respectivamente, um terreno na praia da Ferradura, em Búzios (RJ), no valor de R$ 1,8 milhão, uma loja em Nova Iguaçu, avaliada em R$ 80 mil e um apartamento, na mesma cidade, no valor de R$ 70 mil.

Terezinha de Jesus figurava entre os advogados com maior número de processos relacionados a acidente de trabalho na 5ª vara cível de Nova Iguaçu. O número de fraudes destes processos é quase tão grande quanto o de Jorgina de Freitas, chefe da quadrilha.

A advogada foi condenada, na Ação Penal 05/91, a 13 anos de prisão, tendo recebido indulto em 2009 concedido pelo TJ-RJ, por estar com 63 anos de idade e tendo cumprido um terço da pena, de acordo com Decreto Presidencial 5.993/2006.

Existem ainda 45 imóveis da mesma quadrilha para nova avaliação do TJ-RJ e posterior leilão. O Tribunal já demonstrou à PRF-2 a intenção de que este processo seja feito de forma mais célere possível. Com informações da Assessoria de Imprensa da AGU.

Revista Consultor Jurídico, 27 de agosto de 2010, 16h12

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 04/09/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.