Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Guerra da propaganda

Dilma diz que Serra cita briga inexistente na TV

A coligação de Dilma Rousseff (Para o Brasil Seguir Mudando, PRB-PT-PMDB-PTN-PSC-PR-PTC-PSB- PcdoB) ajuizou uma Representação contra a coligação de José Serra (O Brasil Pode Mais, PSDB-DEM-PPS-PTB-PMN-PTdoB) por veiculação de propaganda irregular na televisão.



A coligação de Dilma diz que o adversário se utilizou de artifício audiovisual na propaganda eleitoral de televisão, na noite da última terça-feira (24/8), com o objetivo de propagar mensagem inverídica e incutir na consciência do eleitor um ambiente de briga entre a candidata e o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.



Sustenta a coligação que o programa exibiu a manchete de matéria veiculada na revista Veja com a especulação de que Dilma e o presidente da República estariam divergindo na preferência de nomeação de novo ministro para o Supremo Tribunal Federal na vaga do ministro Eros Grau, que se aposentou.



Na Representação, a coligação ainda diz que os responsáveis pela publicidade da coligação de Serra fingiram o encerramento do programa eleitoral e, nos 20 segundos finais, veicula a falsa informação. Sustenta que o nome da coligação de Serra e as siglas dos partidos aparecem impressos verticalmente sem nitidez e em letras minúsculas, em um fundo negro, junto a outros caracteres relacionados ao título da matéria da revista Veja.



Para a coligação de Dilma Rousseff, houve afronta à legislação eleitoral que estabelece que a propaganda deve ser legivelmente identificada e cita o artigo 6º da Lei das Eleições (Lei 9.504/97).



Por fim, pede a declaração da ilegalidade da programação veiculada e a perda de tempo equivalente ao dobro do usado na prática do suposto ilícito, não inferior a um minuto. Com informações da Assessoria de Imprensa do TSE.

Revista Consultor Jurídico, 26 de agosto de 2010, 18h43

Comentários de leitores

9 comentários

PeTralhas e suas costumeiras PeTralhices...

Richard Smith (Consultor)

Mais difícil seria criar o que já existe não é Tetê?
Como tenta fazer aquele indivíduo sem-dedo que hoje ocupa a Cadeira Presidencial, sua títere e a canalha que os circunda, ao apropriar-se de obras que não são suas.
Quanto à "inexistência" do que eu mencionei acerca do "fessô" PeTralha etc. e tal,simples! Basta procurar no referido site (www.tijolaco.com.br) e verificar por você mesma. Arrisco até a achar que você, como mulher, deveria ficar ofendida e não fazer defesa rasa do "cumpanheiro-fessô", não é PeTralhinha?! Mas creio que isso seja uma atitude reservada aos não-PeTralhas, não é?
Passar bem.

desespero e criatividade

Fernanda Fernandes Estrela (Assessor Técnico)

Simples assim: o desespero em meio aos resultados oficiais de pesquisas de intenção de voto leva os pseudo-bugres à criar...
até o que inexiste...

EXORCISMO JÁ!

Richard Smith (Consultor)

Mais uma vez o alegórico "fessô" PeTralha, fujão, borra-cuecas, mistificador, anti-clerical, mentiroso, infantil, escroto, covarde e moleque (para que meçamos a sua "isenção" e caráter, sabima que le disse, no bolg do Brizola Neto que a D. Senadora Katia Abreu não poderia ser contada entre as 10 Senadoras da República porque não era MULHER e nem SER HUMANO?! Deve ser filho de chocadeira o tipo. Boa para ele é Ideli salvatti, por certo) expele um monte de bobagens, insultinhos infantis - que aprende nos blogs de jornalistas fracassados a soldo - e fica torcendo pelo Abortista/Excomungado e sua candidata títere.
Teremos logo mais, no dia 03 de outubro, a oportunidade de exorcisarmos toda essa cambada.
Avante! como costuma zurrar o tipo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/09/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.