Consultor Jurídico

Principal suspeita

Justiça nega HC a filha de ex-ministro assassinado

Adriana Villela teve pedido de Habeas Corpus negado pela Justiça do Distrito Federal. Ela é filha do ministro do Tribunal Superior Eleitoral José Guilherme Villela e da advogada Maria Carvalho Villela, assassinados em 2009. De acordo com a polícia, Adriana está entre os principais suspeitos do crime. As informações são da Folha de S.Paulo.

Adriana foi presa na última terça-feira, no mesmo dia que a polícia deteve outras quatro pessoas suspeitas de obstruírem as investigações do triplo homicídio. O casal Villela e a empregada Francisca da Silva foram mortos com mais de 70 facadas em agosto de 2009 e encontrados três dias depois no apartamento das vítimas.

A prisão da filha do ministro do TSE é temporária e tem validade de 30 dias. A defesa de Adriana Villela já havia afirmado, no dia da prisão, que se trata de "condenação precipitada".




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de agosto de 2010, 21h14

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/08/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.