Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Vítima de emboscada

Conselheira da Acrimesp é assassinada em Mairiporã

A Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo informa que a advogada e conselheira da Acrimesp, Adriana Sousa Reis, de 35 anos, foi assassinada em Mairiporã (SP) nesta quarta-feira (4/8). De acordo com a Acrimesp, o inquérito para apurar o crime foi aberto em Mairiporã e está sob a responsabilidade do delegado Antonio José Pereira.

Segundo informações da associação, a advogada foi vítima de uma emboscada feita por um cliente que estava insatisfeito com a tramitação de um processo. Adriana levou três tiros à queima roupa e seu namorado, que a acompanhava, também foi atingido com três tiros. Ele não morreu, mas está em estado grave.

Para acelerar as investigações a associação formou uma comissãopara acompanhar as investigações. Além disso, enviará ofício à Secretária de Segurança Pública de São Paulo pedindo agilidade nas investigações.

Os advogados da associação demonstraram aflição em relação à segurança dos criminalistas. De acordo com o advogado Sérgio Pandovani, não existe proteção alguma para os advogados. Para ele, assim como “os juízes e promotores os advogados também devem ter sua segurança garantida, justamente, para evitar esse tipo de situação”, disse.

O sepultamento do corpo da advogada será nesta sexta-feira (6/8), às 10h, no Memorial Parque, em Sorocaba (SP).

Revista Consultor Jurídico, 5 de agosto de 2010, 18h58

Comentários de leitores

7 comentários

A realidade que ninguém quer enxergar....

Marco 65 (Industrial)

Insisto em dizer que os problemas devem ser atacados na causa e não nos efeitos...
Armar o advogado de nada adiantaria.
Temos que rever essas leis absurdas, onde o assassino, se tiver dinheiro e um advogado esperto, leva muitos anos para ser condenado e quando o é, cumpre 1/6 da pena e sai livre. Na maioria das vezes o crime prescreve e fica o dito pelo não dito.
Bandido confesso não precisa de advogado e nem de julgamento. Mas, nossas leis estão feitas de tal maneira que sempre existe uma brecha para livrar o marginal da punição, basta ser atendido por um bom advogado que conheça as saidas.
O mesmo ocorre com crimes do colarinho branco. Quem já viu algum ladrão do dinheiro público ser condenado?
O Brasil é tido no mundo todo como o país da impunidade. Até o nosso presidente (que deveria dar o exemplo) quebra as regras e é multado.
e por que? Porque transgredir as regras, neste país, não é tão perigoso... paga-se multas e tudo bem.
Mudem as leis! Lei boa é aquela que todos entendem... é aquela feita e escrita de modo claro e sem intenção de demonstração de inteligência... e, principalmente, sem atalhos para que bandidos se valham deles e saiam impunes.
Democracia plena é aquela onde o cidadão tem deveres e direitos incontestáveis. Nós, cidadãos brasileiros, não temos direito ao principal direito de um ser humano que é o DIREITO A VIDA!
Banalizaram a vida, minha gente!
Essa raça de políticos que aí está, não se preocupa conosco e sim com seus bolsos... enquanto morremos nas mãos de bandidos (que aumentam a cada dia), eles enchem os bolsos de dinheiro....bolsos, meias, cuecas, calcinhas etc...

Porte de armas

Armando do Prado (Professor)

Respondo à pergunta de um leitor. O porte de armas ao advogado inibiria uma ação como essa, pois o criminoso saberia que não encontraria alguém desarmado e pronto para ser morto. O advogado, assim como os outro operadores, precisa ter o direito de se defender, ou pelo menos ter a oportunidade de se defender.

Segurança nos Fóruns

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A segurança nos fóruns é só para os magistrados, membros do Ministério Público, e autoridade em geral. O resto está entregue à própria sorte. Há alguns dias eu ingressava no Fórum da Justiça Federal em São José do Rio Preto, por aquele chata porta detectora de metais, quando um Delegado de Polícia Federal ingressou pela porta ao lado, sem qualquer identificação ou qualquer outra segurança. Questioneio o "guarda" e ele respondeu que se tratava de um Delegado, não sendo necessário qualquer averiguação. O mesmo ocorre com os Magistrados e membros do Ministério Público, que ingressam por uma porta nos fundos e ao lado, sem qualquer revista ou averiguação. Assim pergunto: o que impede algum delegado de Polícia Federal, magistrado ou membro do Ministério Público sacar uma arma e dar um tiro na minha cabeça dentro do Fórum? Absolutamente nada.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 13/08/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.