Consultor Jurídico

Comentários de leitores

9 comentários

Coitados do Nardonis

RBS (Advogado Autônomo)

Se der certo (que ainda é discutível) vou ignorar completamente as mensagens dizendo que o resultado favorável a acusação se deu devido a midia, povo, etc.
Todos esses " males " que são apontados por aqui estarão presente novamente...e talvez pior...por estarem sendo chamados de novo....
Honestamente...será que o casal está ciente mesmo da exposição e da imagem que ficarão após este novo Juri ? Acho que não...
Peço aos que considerem o casal inocente um pouco de calma...não precisam tomar medidas de alto impacto na midia para conseguir soltá-los...basta fazer igual a outros casos públicos onde são impetrados centenas de Hcs e um acaba dando certo...desta forma não há clamor público e nem exposição dos reús/acusados...Na pior das hipoteses, 30 anos vai acabar em 6/7 no máximo...30 é só para acalmar a população...na pratica é outra coisa....Honestamente...acho que o casal é culpado...mas estou com pena deles neste momento...novamente serão massacrados...e quem vai se beneficiar disso ?

Direito da defesa

Mauricio_ (Outros)

É direito da defesa utilizar de todos os recursos possíveis, mas não acredito que se traduzam em algum resultado prático. Tribunal nenhum irá anular esse julgamento. Duvido.

que sono........................

hammer eduardo (Consultor)

Ate ja elogiei o impecavel ( pra não dizer proximo do impossivel) trabalho do Dr.Podval no qual credito como unica falha a exposição excessiva e gratuita para a Imprensa depois daquelas cansativas sessões.
De qualquer forma , me parece que Ele tem ate o direito legal mas convenhamos , não deverá prosperar e ate pode ser que sejam conduzidos a penas maiores.
Talvez fosse mais facil arguir alguma suspeição sobre os Jurados e quem sabe indicar para o remoto proximo julgamento pessoas mais "ilibadas" como o fernandinho beira mar , pimenta das neves , marcola, lambari , suzane richtofen , o maniaco do parque , o bida la de Belem e por ai vai. Neste caso com um juri deste "calibre" , acredito que os injustiçados???????Nardoni teriam uma chance maior de sair pela porta da frente do tribunal, de repente seguidos pelo corpo de jurados aproveitando a deixa........Só rindo e muito!

Trabalhar a pena...

Leitor1 (Outros)

Além disso, sr. Carone, há outro bis in idem... A condenação pela fraude processual é incorreta, porquanto se tratou - no caso - de mero exaurimento do crime anterior. Caso fosse um terceiro (p.ex., o pai do acusdo) o responsável pela alteração do local do crime, com o deliberado propósito de levar a erro a jurisdição criminal, até compreenderia a aplicação daquela pena (para o terceiro). Agora, quanto ao próprio acusado, isso se traduz em dupla punição por uma única conduta...

Trabalhar a pena

Guilherme G. Pícolo (Advogado Autônomo - Civil)

Srs.,
Não seria mais interessante e produtivo ao respeitável advogado trabalhar a pena em grau superior. Com todo respeito, não lhes parece que houve bis in idem no cômputo da pena, em relação à agravante "cometido contra vítima que não podia se defender"? Como já faz parte do tipo qualificado, não poderia ter sido usada novamente como agravante, certo?

Parabéns....

Rossi Vieira (Advogado Autônomo - Criminal)

Embora eu não conheça verdadeiramente os defensores dos Nardoni, publicito meus votos de absoluto respeito ao lider da defesa. Parabéns pela causa, em especial a coragem ao representar a Beca num Júri espetacular. Boa sorte a todos.
Otavio Augusto Rossi Vieira, 43
Advogado Criminal em São Paulo.

Nulidades absolutas não se convolam...

Leitor1 (Outros)

Quanto à eventual ausência de protesto oportuno, registrado em ata, é fato que a oportunidade para apontar nulidades - desde que absolutas - não preclui.
-
Há vários precedentes do STJ registrando que a Lei 11.689 não se aplica (quanto à extinção do protesto por novo júri) quando em causa supostos crimes, tidos como cometidos antes da sua edição. Cito aqui o HC 94.281/SC.
-
Aparentemente, ambos possuem o direito a um novo julgamento, portanto. E, nesse caso, o trânsito em julgado da condenação restaria postergada; viabilizando - oportune tempore - o cancelamento da prisão preventiva.
-
Afinal de contas, os critérios empregados pelo juiz de 1ª instância para a manutenção da preventiva não são acolhidos pelo STF. Há inúmeros precedentes do Supremo declarando que a pretendida defesa da credibilidade do Poder Judiciário não pode ser utilizada como fundamento para a prisão ante tempus. Também há julgados aos montes, sustentando que - após já colhidas as provas - não se pode manter prisão fundada no receio de destruição dos elementos de convicção.
-
Logo, caso provocado, o Supremo deverá manter coerência com os aludidos julgados; sobremodo com a decisão proferida ao julgar o HC 84.078, STF (plenário, rel. Min. Eros Grau).
-
Conquanto repute que há densos elementos em desfavor de ambos os acusados - partindo aqui do que li nos jornais de grande circulação - penso que, sob o aspecto processual, possuem direito a novo julgamento. O desaforamento seria desejável; ainda que contrafático... (não há lugar isento!, caso se concorde que a opinião publicada influenciou sobremaneira o resultado).

Perguntaram p/ o casal se eles querem novo juri ? ? ?

A.G. Moreira (Consultor)

Os "julgamentos" (especialmente os de juri popular) , são a maior PUNIÇÃO a que os julgados são submetidos ! ! !
.
Prolongar ou multiplicar julgamentos, é NÃO TER COMPAIXÃO nem respeito pelos acusados e , já, condenados ! ! !

Razões de recurso??

Marcos de Moraes (Advogado Autônomo - Criminal)

Houve algum protesto da defesa anotado em Ata de Julgamento ?

Comentar

Comentários encerrados em 9/04/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.