Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições da OAB-SP

Candidato é acusado de fraudar pesquisa

Por 

Auditoria encomendada pelo advogado Martim de Almeida Sampaio revelou que enquete divulgada pela chapa concorrente à eleição da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo encabeçada por Rui Celso Reali Fragoso foi fraudada. A pesquisa feita no site de campanha do candiato pretendia aferir a opinião dos advogados de São Paulo em relação ao terceiro mandato do presidente da OAB-SP. O atual presidente Luiz Flávio Borges D'Urso é candidato à re-reeleição

A pesquisa ficou no ar por cinco meses. Os números amplamente contrários ao terceiro mandato levaram Almeida Sampaio, que é candidato a conselheiro na chapa de D'Urso, a pedir a auditoria. A tarefa foi encomendada à empresa Crowe Horwath RCS, uma das maiores do gênero no mundo, que confirmou a suspeita. Segundo teste feito pelos auditores, para cada voto dado a favor da reeleição, eram computados quatro contra a proposta (clique aqui para ler o relatório da auditoria).

A enquete perguntava Qual sua opinião sobre o terceiro mandato na OAB-SP?. A pesquisa oferecia duas opções de voto: "a favor" e "contra". De acordo com o relatório, ao votar em “a favor”, automaticamente, eram computados quatro votos “contra”. Ou seja, a cada voto favorável, quatro contrários eram acrescidos sem que ninguém houvesse escolhido a opção. Ao fazer o teste de forma contrária, votando em “contra”, o valor para “a favor” permaneceu o mesmo, sendo contabilizado um voto para cada.

O resultado da enquete “apresenta um indício de deficiência na contabilização dos votos”, apontou a averiguação. O site foi acessado por meio de computadores com diferentes IPs (Internet Protocol) para assegurar que, caso o sistema possuísse um método de bloqueio de mais de um voto por IP, não impactasse nos testes realizados.

Para garantir que o sistema não estaria, coincidentemente, recebendo votações proporcionais e simultâneas às feitas pela auditoria, foi realizada longa pausa entre as votações feitas para análise. Após uma hora, notou-se que os valores mantiveram-se inalterados, demonstrando que nenhum voto havia sido computado.

No período de votação analisado, de quase três horas, entre 13h21 e 16h12, do dia 28 de setembro, a enquete recebeu 6 votos (a favor) e 1 (contra) feitos pela auditoria, e mais 2 (contra) feitos por internautas, totalizando 9 votos. No início do teste a votação registrava 1.270 votos a favor e 5.565 contra.

De acordo com relatório de análise, ao final do período de testes o placar mostrava 1.276 a favor e 5.592 contra. Foram contabilizados no período 33 votos. Tal análise gerou a proporção de 1 x 4,5 e levando em consideração um período infinito, se aproximaria de 1 x 4, ou 20% x 80%, reforçando a distorção identificada e não refletindo a opinião dos internautas. Feita por amostragem, a análise dos resultados expressados pela enquete foi feita no dia 28 de setembro, num período de três horas.

Procurada pela Consultor Jurídico, a assessoria de imprensa de Rui Fragoso não se manifestou até a publicação da reportagem.


Clique aqui para ler o relatório.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 28 de outubro de 2009, 13h46

Comentários de leitores

10 comentários

...

Régis C. Ares (Advogado Sócio de Escritório)

Não aprovo o terceiro mandato.
Se antes já não via com simpatia a re-eleição do candidato da situação, agora é que eu não voto mesmo!
Podem até vencer, mas não será com o meu voto...

FRAUDE NEGADA

leandro basso (Advogado Autônomo - Eleitoral)

A fraude foi negada pela própria empresa que realizou a auditoria. Como alguém teve a ousadia de divulgar tamanho absurdo e acusar alguém de fraude, ainda mais numa eleição da OAB? Qual seria o motivo? É bom pensarmos sobre essa atitude. Acusação leviana e sua divulgação não podem partir de um (a) advogado (a) compromissado (a) com a ética.
abs.

A fraude foi negada.

Fernando Joel Turella (Advogado Autônomo)

Segundo Fredini, como postado na Comunidade OAB-SP, do Orkut, a fraude foi negada. Transcrevo o dito
pelo coleg
"A fraude foi negada
Senhores,
Vejam só o que a empresa CROWE HORWATH RCS declarou:
Essa empresa foi a contratada pela situação para realizar a auditoria referente A OPINIÃO SOBRE O TERCEIRO MANDATO.
" Com relação à enquete: QUAL A OPINIÃO SOBRE O TERCEIRO MANDATO NA OAB lançada por uma das chapas concorrentes à eleição da Ordem dos Advogados do Brasil ( OAB ) no ar e por nós analisada no dia 28 de Setembro a Crowe Horwath RCS reitera ter identificado uma parametrização imprecisa que levava a indicios de deficiência na contabilização dos votos. EM NENHUM MOMENTO CONCLUIMOS OU ATRIBUISMO EVIDÊNCIA DE FRAUDE, conforme claramente expresso no relatório divulgado por terceiros e inserido na matéria em site do Consultor Jurídico na data de hoje"
São Paulo, 28 de Outubro de 2009.
Raul Corrêa da Silva
Ou seja, a empresa contratada pelo Dr. D'Urso nega ter atestado a fraude.
A VERDADE É RESTABELECIDA.
Reafirmo novamente, a situação está "atirando " para todos os lados.......
RUI FRAGOSO - TRIÊNIO 2010 - 2012
www.fuifragosooabsp.com.br
14 É O NÚMERO.
Grande abraço em todos e boa noite.
Fredini"

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 05/11/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.