Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Crime corporativo

De Sanctis e a responsabilidade penal das empresas

Por 

O juiz federal Fausto Martin De Sanctis ganhou fama ao julgar alguns dos casos mais rumorosos contra grandes corporações. Antes e depois de se tornar celebridade por conduzir o processo contra o Banco Opportunity e o banqueiro Daniel Dantas, De Sanctis acatou denúncias contra o Banco Santos, de Edemar Cid Ferreira; o fundo de investimentos internacional MSI, do russo Boris Berezovski; e a construtora Camargo Corrêa. Foi ele também que condenou a 30 anos de prisão o colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia, por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Tido como um dos maiores traficantes de drogas do mundo, Abadia é uma pessoa física que vale por uma empresa.

Não foi por acaso que todos estes processos tenham ido parar nas mãos de De Sanctis. Ele é o titular da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, especializada em crimes financeiros, o tipo de crime de que as corporações empresariais são culpadas, até prova em contrário. É mais ou menos o que diz o juiz Fausto Martin De Sanctis em seu mais novo livro: “Devido ao grande número e ao fato de subsumirem a regra de que podem fazer tudo o que a lei não veda, observa-se que as pessoas jurídicas de direito privado, aos olhos do direito penal, têm sido os mais perigosos delinquentes”, escreve ele em Responsabilidade Penal das Corporações e Criminalidade Moderna, que acaba de chegar às livrarias em mais um lançamento de literatura jurídica da Editora Saraiva.

É um modo de ver o mundo, talvez um tanto peculiar e que certamente serve mais para explicar por que o juiz tem se colocado com tanta frequência no centro de polêmicas ainda mais candentes. Foi o que ocorreu quando mandou prender o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, depois de uma liminar em Habeas Corpus do Supremo que mandava deixá-lo em liberdade. Ou quando decretou o confisco das obras de arte e da casa onde morava o também banqueiro Edemar Cid Ferreira, do Banco Santos. 

Na verdade, o livro de De Sanctis trata tecnicamente de um tema técnico possivelmente exposto a controvérsias apenas de ordem técnica. Como se explica na apresentação do livro: “A abordagem considera, além da eventual necessidade do estabelecimento de um Direito Penal paralelo, uma questão ainda inédita: se os elementos do crime perpetrado pelas corporações — conduta, resultado, nexo causal e tipicidade — compreendem conteúdo radicalmente distinto daquele cometido pelos indivíduos”.   

O juiz, no entanto, defende até o fim o rigor penal contra as instituições empresariais: “A responsabilidade criminal dos entes coletivos, revela-se, assim, como forma de melhor conferir eficácia ao Direito Penal, que não tem atingido todos os agentes da prática delituosa, em especial aqueles que, com seu poder e estrutura, cometem crimes mais facilmente”, conclui. “É imposição de uma nova realidade da Justiça, conclamada nos mais variados sistemas jurídicos, pelo reconhecimento da força social e econômica dos grupamentos”. E lamenta que, no Brasil, a responsabilidade penal das pessoas jurídicas se restringe a matéria ambiental.

Fausto Martin De Sanctis é bacharel em Direito e doutor em Direito Penal pela USP e especialista em Processo Civil pela UnB. É ainda professor de Direito Penal da Universidade São Judas Tadeu. Antes de entrar para a Magistratura federal, foi promotor de Justiça e juiz de Direito em São Paulo. É autor dos livros Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica (1999); Punibilidade no Sistema Financeiro Nacional — Tipos Penais que tutelam o Sistema Financeiro Nacional (2003); e Combate à Lavagem de Dinheiro — Teoria e Prática (2008).


Serviço
Autor: Fausto Martin de Sanctis
Título: Responsabilidade Penal das Corporações e criminalidade moderna
Editora: Saraiva
Páginas: 195


 

 é diretor de redação da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 18 de outubro de 2009, 9h28

Comentários de leitores

9 comentários

Lançamentos de 2 livros do Juiz Fausto 28/10/2009, SP

Janice Agostinho Barreto Ascari (Procurador da República de 2ª. Instância)

A notícia precisa de um complemento.
Convido a todos para o lançamento de dois novos livros do Juiz Federal Dr. FAUSTO MARTIN DE SANCTIS:
(http://blogln.ning.com/group/justica/forum/topics/lancamento-de-livros-juiz)
- "Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro"
- "Responsabilidade Penal das Corporações e Criminalidade Moderna"
Dia 28 de outubro de 2009, das 19 às 22 hs., na Livraria Saraiva do Shopping Higienópolis, em São Paulo.
O Juiz Federal Fausto Martin De Sanctis tem outros 4 livros publicados, além de vários artigos em revistas especializadas:
1) Punibilidade no Sistema Financeiro
2) Direito Penal Tributário - Aspectos Relevantes (tive a honra de prefaciar esse...)
3) Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica
4) Combate à Lavagem de Dinheiro

Lançamentos de 2 livros do Juiz Fausto 28/10/2009, SP

Janice Agostinho Barreto Ascari (Procurador da República de 2ª. Instância)

A notícia precisa de um complemento.
Convido a todos para o lançamento de dois novos livros do Juiz Federal Dr. FAUSTO MARTIN DE SANCTIS:
(http://blogln.ning.com/group/justica/forum/topics/lancamento-de-livros-juiz)
- "Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro"
- "Responsabilidade Penal das Corporações e Criminalidade Moderna"
Dia 28 de outubro de 2009, das 19 às 22 hs., na Livraria Saraiva do Shopping Higienópolis, em São Paulo.
O Juiz Federal Fausto Martin De Sanctis tem outros 4 livros publicados, além de vários artigos em revistas especializadas:
1) Punibilidade no Sistema Financeiro
2) Direito Penal Tributário - Aspectos Relevantes (tive a honra de prefaciar esse...)
3) Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica
4) Combate à Lavagem de Dinheiro

Vale a leitura

Edusco (Advogado Autônomo - Civil)

Pena que os invejosos venham a este forum detratar o Autor do livro. Pra quem entende de Direito Penal (e não vive sofismando para advogar na tentativa de absolver os mega-criminosos) é leitura indispensável. Aos invejosos de costume, o estrume que merecem...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/10/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.