Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caixa de Pandora

Partidos querem afastamento de governantes do DEM

Os partidos de oposição ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), devem recorrer à Justiça para exigir o afastamento dele, de seu vice-governador, Paulo Octávio (DEM), e do presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente (DEM-DF). Eles são acusados de comandar um esquema de corrupção envolvendo pagamento de propina no DF. A informação é da Agência Brasil.

O presidente do PT do Distrito Federal pretende enviar uma ação à Justiça que consiga garantir que o presidente do Tribunal de Justiça do DF, Niveo Gonçalves, seja nomeado governador em decorrência das últimas acusações. Ele já marcou uma reunião com os comandos do PSB, PDT e movimentos sindicais para esta segunda-feira (30/11), às 15 horas. “Não há condições de o Distrito Federal ser comandado pelo atual governador, seu vice ou o presidente da Câmara. Todos estão sob suspeita e a situação piora a cada momento”, afirmou Vigilante. “A situação é tão grave que somos surpreendidos o tempo todo com notícias, isso gera uma insegurança sem igual”.

A iniciativa do PT do Distrito Federal segue orientação do presidente nacional do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP). De acordo com Vigilante, Berzoini considerou as denúncias gravíssimas e determinou que o caso seja tratado com máxima urgência pelo partido. “O Berzoini telefona o tempo todo para saber dos desdobramentos. O PT considera o assunto o máximo de gravidade”.

Na sexta-feira (27/11), a Polícia Federal deflagrou a operação intitulada Caixa de Pandora e identificou um suposto e complexo esquema de corrupção envolvendo Arruda, Paulo Octávio, Prudente e parte da cúpula do governo do Distrito Federal. Pelas investigações, existiria um “mensalão” que arrecadou cerca de R$ 600 mil com empresas privadas, que seriam repassados para colaboradores.

As denúncias levaram Arruda a afastar oito de seus assessores diretos. Imagens gravadas pela Polícia Federal em DVD mostram o governador recebendo dinheiro das mãos do assessor Durval Barbosa – responsável pelas acusações e parte das informações repassadas aos policiais.

Desde setembro deste ano, tramita no Superior Tribunal de Justiça o processo de investigação sobre o suposto esquema de corrupção e distribuição de recursos. Porém, Vigilante afirmou que as denúncias são mais antigas e tiveram início na campanha do ex-governador e ex-senador Joaqum Roriz – hoje adversário de Arruda, mas aliado no passado. 

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2009, 16h42

Comentários de leitores

4 comentários

O PT envolvido

JCláudio (Funcionário público)

O PT é o que menos tem moral para cobrar alguma coisa. Fez o mesmo a nível nacional e nada aconteceu. Lugar de Petista é na privada. O Presidente do PT é tão cretino quanto o Arruda. São farinha do mesmo saco.

Dinheiro assim não precisa de contexto

Nado (Advogado Autônomo)

Pessoal do Arruda diz que o dinheiro entijolado até dentro das meias era para comprar panetone para os pobres. O ingênuo ainda confessa que era para comprar votos! Muda alguma coisa saber para o quê que foi dado o dinheiro? Muda, apenas para pior, como foi o caso de dizer que era para comprar panetone para os pobres. O episódio mostra que político e candidato nenhum pode receber dinheiro pessoalmente, porque não condiz com o decoro e indica subterfúgio, no mínimo, à prestação de contas da campanha. Pela lei, a campanha não pode receber dinheiro assim. E a lei deveria exigir apenas dinheiro público para todas as campanhas. Seria o mais justo e o mais correto. Em qualquer outro lugar do mundo, os políticos já estariam confessando e pedindo desculpas aos eleitores também pela TV. Aqui no Brasil, continuam se dizendo inocentes e que o "contexto" não foi esclarecido. Que contexto? Que outra prova pode contrariar as imagens? A legislação aplicável, tanto à campanha quanto à gestão, não permite tal repasse tão suspeito e sigiloso a um agente político. Mais uma vez o que se constata é o seguinte: HÁ UMA TREMENDA CONFIANÇA NA IMPUNIDADE REINANTE! E o Judiciário também não carrega culpa por isto?

governador do DF

Daniel (Outros)

governador..nao esquenta a cabeça....
na proxima eleição sera reeleito...
o povo tem o que merece

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/12/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.