Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Encontro de Corregedorias

Judiciário precisa de gestão e transparência

Só uma gestão transparente e moderna nos órgão públicos podem dar credibilidade ao Judiciário. Essa é a opinão do corregedor nacional de Justiça, ministro Gilson Dipp, ao abrir nesta quarta-feira (25/11) o Encontro Brasileiro de Corregedorias Federais. O ministro defendeu a fiscalização e o aprimoramento dos mecanismos de gestão.

Dipp lembrou que o serviço público, incluído nele o Judiciário, deve prestar contas à sociedade para resgatar a sua credibilidade. "Somos todos servidores públicos lato sensu e temos o dever de prestar contas à sociedade pelos nossos atos", disse. De acordo com Gilson Dipp, a tarefa correicional não é fácil, mas não se resume apenas ao papel de punição como normalmente é encarada. "Nosso trabalho é conscientizar que nós temos condições de aprimorar o Judiciário", explicou.

O ministro falou ainda sobre a necessidade de transparência em todos os poderes e pediu ao corregedor da Câmara dos Deputados, deputado Antônio Carlos Magalhães Neto, mais eficiência nas ações fiscalizatórias da instituição. "A Câmara dos Deputados, a exemplo do Senado Federal, deve começar a exercer a sua ação fiscalizadora de maneira mais viva", enfatizou. O deputado afirmou que é preciso ter mais cooperação entre os três poderes. Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal Superior do Trabalho.

Revista Consultor Jurídico, 27 de novembro de 2009, 14h41

Comentários de leitores

1 comentário

Apoio da sociedade ao trabalho do Ministro Dipp

Manuel Matos (Consultor)

Cumprimento o Ministro Gilson Dipp pelo brilhante e corajoso trabalho que vem realizando na Corregedoria Nacional da Justiça.
A consolidação do processo judicial eletrônico permitiu o avanço das nossas instituições rumo a uma economia digital eficiente, competitiva e transparente.
Manuel Matos
Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico
Presidente

Comentários encerrados em 05/12/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.