Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Politicamente incorreto

MPF pede multa a Requião por declarações sobre gays

O Ministério Público Federal entrou com ação na Justiça Federal pedindo que o governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), seja multado em R$ 250 mil por declarações depreciativas aos homossexuais dadas no programa Escola de Governo, da Televisão Educativa do Paraná. A informação é do portal G1.

Falando no programa no fim de outubro, o governador, de maneira jocosa, relacionou o câncer de mama a passeatas gay. Na ocasião, Requião anunciava o pronunciamento do secretário da Saúde do estado, Gilberto Martin, que falaria sobre ações para o controle de câncer. "A ação do governo não é só em defesa do interesse público, é da saúde da mulher também. Embora hoje câncer de mama seja uma doença masculina também, né? Deve ser consequência dessas passeatas gay", disse Requião.

Para o MPF, a frase foi “absolutamente preconceituosa contra os homossexuais, com nítido caráter homofóbico”. À época, o governador divulgou nota afirmando que tinha a intenção de fazer um alerta sobre os "riscos que o abuso de hormônios femininos, com fins terapêuticos ou estéticos, representam para a saúde".

O MPFaproveitou a oportunidade para criticar a incontinência verbal do governador. Acusou Requião de ridicularizar e constranger o pesquisador Lauro Akio, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar). Ao comentar pesquisas sobre o trigo, o pesquisador teria reclamado da falta de pessoal na instituição. Em resposta , o governador o chamou de "gafanhoto" e "kung fu", segundo o MPF.

Ainda segundo o MPF, a Justiça já proibiu Requião de usar indevidamente a programação da Rádio e Televisão Educativa do Paraná, sob pena de multa. O órgão informa que foram aplicadas quatro multas a ele, no total de R$ 850 mil, por descumprimento da decisão.

Revista Consultor Jurídico, 25 de novembro de 2009, 11h12

Comentários de leitores

1 comentário

MP deveria cuidar do que é importante!

Paschoal (Advogado Sócio de Escritório)

Com todo o respeito, acredito que o MP, nesses últimos anos, anda se desvencilhando de sua função primordial. Dia desses vi o MP batendo contra uma marca de refrigerantes, por usar num produto o nome H20, que poderia enganar o consumidor, e levá-lo a crer que estava comprando água. Agora, processa o governador requião por ter dito, em tom de gracejo, que o aumento do câncer de mama está associado às passeatas gays. Será mesmo que o MP não tem nada melhor para fazer do que se ocupar com assuntos banais? Aparentemente, a instituição não vê que, como iniciativas desse jaez, irrelevantes para a sociedade, caminha para o descrédito?
Acredito, piamente, que existe inúmeros outros assuntos que o MP deveria se ocupar. Compelir o estado a prover segurança, saúde, educação, e outros direitos básicos do cidadão.

Comentários encerrados em 03/12/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.