Consultor Jurídico

Direito de recorrer

Prefeito de Manaus questiona cassação de registro

O ex-governador do Amazonas e prefeito eleito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), e seu vice, Carlos Souza, entraram, no Tribunal Superior Eleitoral, com recurso contra a cassação de seu registro. Eles são acusados de compra de votos e gastos irregulares na campanha. O pedido será analisado pelo ministro Marcelo Ribeiro.

Os dois afirmam que a juíza de primeira instância, que cassou o registro de candidatura dos eleitos, não analisou o recurso apresentado por eles por considerá-lo intempestivo e protelatório. Amazonino Mendes e Carlos Souza recorreram ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas.

Por meio de liminar, o TRE-AM autorizou a posse dos candidatos eleitos e determinou à juíza que analisasse o recurso da defesa. De acordo com os advogados dos candidatos, a juíza simplesmente “se negou a acatar a ordem emanada pela instância superior”.

A defesa recorreu ao TSE. O candidato afirma que, além de ter sido arbitrariamente cassado, teve seu direito de recorrer negado pela juíza. Os advogados de Amazonino sustentam que os embargos de declaração contra a decisão de primeira instância foram apresentados dentro do prazo. Eles afirmam que o candidato não foi intimado pessoalmente da decisão e o advogado intimado pela juíza não atuava mais no caso. Por isso, sustenta a defesa, a contagem do prazo para a apresentação de recurso não teria começado a correr.

Os candidatos pedem que o TSE determine à juíza que receba e analise os embargos apresentados contra a sentença que os condenou. Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal Superior Eleitoral.

Respe 35.497

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de março de 2009, 15h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.