Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

A fumaça, na demora, é um perigo!

Cananéles (Bacharel)

O "cidadão inocente aparentemente propenso ao impulso típico e antijurídico" que estuprar e esfaquear a filhinha de um causídico, por exemplo, não poderá ser preso em flagrante (a prisão em flagrante também dispõe de natureza cautelar!), pois não "existem na Lei Fundamentos para Prisão Preventiva em razão da gravidade." Ui! E também não é justo mandar um cidadão inocente para o "lugar mais desgraçado do mundo, verdadeira latrina a céu aberto, ...sem uma sentença definitiva...". Ui, ui! Só mais um detalhe: a "conveniência" da instrução criminal é um critério estabelecido pelo legislador (o povo brasileiro, diga-se) "que exige motivação em fatos concretos"? Quais? É com você, Paulo Francis: Waaaaaal!

Só vale para acusados com advogados de grife

Armando do Prado (Professor)

Por que esse princípio que vale para os que podem pagar advogados de grife não vale para os demais, como por exemplo, o casal Nardoni? Ou estes já foram condenados?

OBSERVANDO O ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO

Paulo Morais (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Nao existem na Lei Fundamentos para Prisao Preventiva em razao da gravidade. Assim, o STF agiu absolutamente correto, observando dispositivo do Codigo Penal, bem como principios do Estado Democratico de Direito. Parabens

DESTRUIR O CIDADÃO AINDA QUE POSSA SER INOCENTE

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

É incompreensível que um juiz, sabedor que cadeia é o lugar mais desgraçado do mundo, verdadeira latrina a céu aberto, ainda mande alguém para lá sem uma sentença definitiva, ou se existirem os motivos para a adoção de uma cautelar, que exige motivação em fatos concretos, objetivos. Custa crer tenha uma legião de magistrados que fica alegre e se vangloria do "tento". Ora, é mais fácil destruir do que construir, sendo certo que o Criador reservou o dom da construção para poucos.

Comentar

Comentários encerrados em 18/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.