Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

México 1 x 0 Brasil

Ministra Ellen Gracie perde disputa por vaga na OMC

A ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal, perdeu a disputa pela vaga de juiz do Órgão de Apelação da Organização Mundial do Comércio (OMC). É o que informa o jornalista Lauro Jardim, em seu blog no site da revista Veja. A vaga ficará com o candidato do México, o advogado Ricardo Ramirez.

De acordo com o jornalista, a ministra Ellen Gracie e o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, já foram avisados da decisão tomada em Genebra nesta segunda-feira (25/5). A campanha de Ellen lembrava o fato de que, como a vaga foi aberta com a saída de um brasileiro, o advogado Luís Olavo Baptista, deveria continuar a ser ocupada por alguém do Brasil.

A notícia da rejeição foi uma surpresa para quem havia ouvido do embaixador brasileiro em Paris que era praticamente impossível o insucesso da ministra Ellen, já que a escolha final seria feita pelo francês Pascal Lamy, presidente da OMC.

Ellen Gracie enfrentou a concorrência de outros cinco concorrentes, das Américas e da Europa, todos com grande experiência na área de comércio internacional.  O vencedor da disputa, Ricardo Ramirez, é advogado e comanda a área de comércio de um respeitadíssimo escritório de advocacia no México.

Futuro

A dúvida que fica agora no tribunal é se a ministra permanecerá no Supremo ou pedirá a aposentadoria. Pelo menos dois ministros do STF consideram que a permanência da ministra na corte ficou insustentável. Ellen Gracie deixou o tribunal de lado em duas ocasiões em busca de outro emprego. Já o presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, apóia a colega.

Ellen perdeu a vaga na Corte de Haia para o professor Cançado Trindade. Então, apostou todas as fichas no cargo da OMC, que acaba de perder. A avaliação é a de que a ministra diminuiu a importância do Supremo ao trabalhar com a determinação que trabalhou para deixá-lo. É uma derrota significativa também para o Itamaraty.

Revista Consultor Jurídico, 25 de maio de 2009, 14h07

Comentários de leitores

4 comentários

Tubérculos

Erick Siebel Conti (Servidor)

Ellen que vá plantar batatas.

JÁ ERA ESPERADO...

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Era mais do que esperado esta reprovação. O que me admira é a Dra. Ellen ter respondido que não era perita em assuntos comerciais e candidatar-se a um cargo que a condição essencial é ser perita no assunto. Acredito que ela pensou que estivesse no Brasil e que o apôio do Presidente da República resolveria o problema da sua ignorância no assunto. É uma pena que a vaidade desta Sra. não tenha permitido que alguem mais capaz ( temos juristas altamente competentes no assunto) para candidatar-se ao cargo.

Ellen Gracie

Oswaldo Loureiro de Mello Junior (Advogado Autônomo - Criminal)

A Senhora Ministra Ellen Gracie já ocupou a presidência da mais alta corte pátria. Que mais quer ? Sua ambição de poder não tem limites ? Ou, após o exercício da presidência do STF, voltar a ser "simplesmente ministra" é uma "capitis diminutio" ?
O melhor caminho é a aposentadoria.
Oswaldo Loureiro - advogado

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/06/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.