Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Troca de favores...

Dr. Marcelo Alves (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Enquanto isso, tem uma certa autoridade no ES - aliás investigada por tortura - que uns quatro anos atrás cedeu o "quintal da casa" quando era dirigente num outro órgão, para uma "experiência de celas metálicas" que posteriormente foram implantadas nos presídios no ES.
Hoje ele tem um cargo em comissão no ES e dizem que se governador soubesse de um décimo do lamaçal que envolve "tal otoridade", jamais teria feito tal nomeação.
Nisso tudo, o ES está à beira de uma intervenção e o povo não sabe como as coisas realmente acontecem ou, porque acontecem.
Mas é sempre bom lembrar que as pedras rolam e mudam de lugar.

NEM ANIMAIS SÃO TRATADOS ASSIM

Ariosvaldo Costa Homem (Defensor Público Federal)

Deveriam ser processados por tortura aqueles que não fiscalizam essa barbaridade, onde cabem 36, estão presos 281. DEPOIS QUEREM QUE ESTES PRESOS, AO SAIREM, SE COMPORTE COMO HUMANOS. Garanto que se FOSSEM ANIMAIS A SUIPA JÁ TERIA TOMADO SUAS PROVIDÊNCIAS. É caso de representação ao Tribunal Penal Internacional. É uma vergonha. No Entanto entram com ACP para garantir espaço para "mico-leão-dourado"; para impedir construção de "marina" por "poluição visual"; Para impedir que uma criança aprEsente um programa de televisão. Só futilidades. O principal e vergonhoso para o Brasil, se calam, não tomam providências. E não aparece nenhum "Salvador da Pátria". É UM VERDADEIRO ABSURDO. Por estes motivos é que a ação penal não deveria ser exclusivo.
Ariosvaldo de Gois Costa Homem - Defensor Público da União, Categoria Especial

ELES SABEM BEM...

Jorge Cesar (Advogado Autônomo - Internet e Tecnologia)

OS DEFENSORES PÚBLICOS SABEM BEM, MUITO BEM, DE ONDE VÊM AS CRÍTICAS À DEFENSORIA...

desvios da defensoria

daniel (Outros - Administrativa)

impressionante como a defensoria consegue sempre posar de vítima. Ora, existe defensores suficientes sim, mas estão em desvio de função, inclusive ajuizando ações civis públicas para sentarem na mesma altura do juiz e do promotor, outra para casamentos de homossexuais. A defensoria não quer é trabalhar. Essa choradeira deles já está cansando todo mundo. Em breve a verdade vai começar a aparecer.

Culpa do Executivo, o resto é falácia

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

http://www.cidh.org/annualrep/2006port/BRASIL.394.02port.htm
http://www.cidh.org/annualrep/2009port/Brasil12440port.htm
"2. Segundo a informação prestada, denuncia-se que policiais militares assassinaram a presumida vítima, que em vida foi um jovem negro, de 18 anos de idade e soldado do Exército, no dia 13 de setembro de 1998. Os peticionários aduzem que a investigação policial ainda está inconclusa, sem que sequer a denúncia do fato tenha sido apresentada à Justiça pelo Ministério Público.
'
Mais uma vez a dupla Polícia E Ministério Público... Enfim, tem gente que acredita em papai noel.

O que o Lula vai falar, que não vai pagar????

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

http://www.cidh.org/demandas/11.552%20Guerrilha%20do%20Araguaia%20Brasil%2026mar09%20PORT.pdf
http://www.cidh.org/annualrep/2008port/Brasil478.07port.htm
http://www.cidh.org/annualrep/2007port/Brasil1113.06port.htm
O problema é do Executivo. Se o Judiciário manda soltar, a culpa é do STF. Esse gosto medieval pelas masmorras... sem comentários. Não pagando as condenações perde o Brasil financiamentos do Banco Interamericano e do Banco Mundial.
E vem mais por aí...

Cade o Gilmar nessas horas?

Gabriel (Estudante de Direito)

Pow Gilmar, a rapaziada também está precisando do Estado Democratico de Direito. Por que eles não tem HC relampagos julgados na calada da noite? Ou vai dizer que é legal estar preso nessas condições. Cade o Gilmar dando 1.000 entrevistas e fazendo sumula vinculante para amparar os interesses desses milhares de presos que tem seus direitos rasgados por nosso próprio Estado? GILMAR MENEDES SOCORRA-OS!

Comentar

Comentários encerrados em 30/05/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.