Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Já mudou???

Zerlottini (Outros)

O último dia era quinta feira. Como eles disseram que NÃO IAM SAIR, ganharam mais dez dias. E isso se propagará "ad infinito", porque NINGUÉM, NESTA PÁTRIA AMADA, ABANDONADA, SALVE, SALVE, tem BUNDA pra tirar esse pessoal de lá. Os índios??? Ora, os índios...
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

EMBRAPA ESPECIALIZADA EM PRODUTIVIDADE!!!!

augusto1 (Outros)

Com a palavra os técnicos da Embrapa!!!
O STF tirou os plantadores de arroz, veja quem está sendo beneficiado, o MST!!!!!!!!!!!!
A parceria deveria ser feita com a Embrapa, orgão especializado em produtividade na agricultura, o MST e especializado em invasão...
No minimo os indios estão sendo induzidos, atenção STF....isso é brincadeira!!!!
Índios da Raposa Serra do Sol negociam parceria com MST
Extraído de: Justilex - 18 horas atrás
Índios da terra indígena Raposa/Serra do Sol, no nordeste de Roraima, negociam uma parceria com o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) para aumentar a produção agrícola da área.

NEW STF, UTOPIA PALPAVEL SE POR HOMENS ÉTICOS E DE RESPEITO

Bonasser (Advogado Autônomo)

Tremenda irresponsabilidade, os que julgaram a favor da demarcação continua e consequente retirada de brasileiros legalmente estabelecidos estão agora colocando a faca no pescoço desses nacionais que sempre pagaram impostos e acataram os ditames das leis.
Mais um absurdo dessa pseudo suprema corte; votaram sem nem ao menos terem conhecimento real da materia, julgamento recheado de vicios que anulariam o processo, vide voto do ilustre Marcos Aurelio. Como poderemos ter credibilidade e confiança em um grupo que adicto tambem às maracutaias, saboreadas pelos outros poderes... era o ultimo rincão em que a socieade buscava e acreditava na defesa de seus direitos, agora a Ines é morta.
Tudo se arranjará com um novo STF, isento, imparcial e que em sua constituição seja composto de Magistrados de carreira que levem na sua bagagem a poeira e calo das relações das gentes das comarcar e entrancias por onde passou sua trajetoria judicante, que ao cruzar o portal daquela Magnânima Côrte o faça pelo portal Principal e da frente, com garbo, confiança e certeza que estará a defender a Constituição e os interesses da Nação.
Cultuar a humildade e ter sempre em emnte que estaraão lá como mandatários por nós os mandantes, para como servidores publicos, realize e concretizem a verdaderia justiça para não somente honra daquela casa mais tambem para o orgulho do POVO BRASILEIRO...é só um sonho... esperemos acontecer na real!!!

"Ao sapateiro somente as sandalhas"

Lucas Janusckiewicz Coletta (Advogado Autônomo)

Para os doutos desembargadortes que nada entendem de agricultura, é fácil dizer na sentença se pode ficar 10 dias ou um mês. Quando o STF decidiu por vias políticas stalinistas (retirar uma enorme população de suas terras com o intuito claro de destruir o capitalismo a foice e martelo) e hitleristas (de separar os arianos indios de raças inferiores de brancos), ao menos deveria ter posto na sentença que até que termine a safra ou, consultando peritos judiciais, verificassem o prazo necessário para a colheita. Ora, o prazo terminou há muito tempo e os produtores rurais que tiveram um trabalhão dos diabos para levarem suas máquinas para fora da reserva, mandar empregados embora, agora terão que voltar as pressas para colher o arroz porque o Estado deu uma ordem, assumiu um ônus(com o dinheiro do imposto que eu pago é claro). Agora fazer os contribuintes que procuram a tutela jurisdicional de idiotas? O Judiciário no Brasil está caminhando para o caos jurídico. Se os magistrados ou Ministros não sabem do que estão cuidando, como no caso da Raposa, que sejam humildes e se abstenham do julgamento alegando ignorancia. Pergunto aos senhores ministros: Por que ontem os arrozeiros deveriam ter saído há muito tempo e agora tem que voltar para fazer aquilo que a Funai se comprometeu a fazer? Nota zero para o nosso STF.

Absurda retirada dos fazendeiros e o prejuízo total

E. Coelho (Jornalista)

O ministro poeta poderia conceder três meses para a desocupação, afinal, os fazendeiros não são bandidos (estão lá há vários anos, possuem escrituras) e seria razoável colher o que foi plantado.
.
Dez dias é prazo insuficiente para colher e transportar a safra, ademais, as estradas são de terra e péssimas.
.
Por outro lado, se o objetivo foi de causar prejuízo total aos fazendeiros, então, o ministro poeta agiu certo!
.
Prá que tanta pressa? Por acaso o ministro poeta acha que os índios irão plantar alguma coisa lá?

Comentar

Comentários encerrados em 12/05/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.