Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Coração de Estudante

Morre Goffredo da Silva Telles Jr., aos 94 anos

Serenamente. Durante o seu repouso, em casa, morreu por volta das 19h deste sábado o mais célebre professor que a Escola de Direito do Largo São Francisco já teve: Goffredo da Silva Telles Jr. O velório tem início às 8h no Salão Nobre da sua escola. Sairá de lá para o enterro às 16h deste domingo no cemitério da Consolação. Goffredo deixa a mulher Maria Eugênia e sua filha Olívia.

 O professor emérito da USP teve papel fundamental no ocaso da ditadura militar, ao encorpar o movimento pelo restabelecimento do estado de Direito com a “Carta aos Brasileiros”, lida sob as Arcadas em 1977.

Nascido Goffredo Carlos da Silva Telles, adotou depois o nome de Goffredo da Silva Telles Jr. Foi casado antes com a escritora Lígia Fagundes Telles, com quem teve o filho Goffredo Neto, falecido há três anos.

Ele começou a lecionar em 1940, inicialmente como livre docente, depois como professor catedrático. Em 1946 elegeu-se constituinte pelo Partido Integralista.

Tomou posse da cadeira Introdução à Ciência do Direito na São Francisco no ano dw 1954. Foi vice-diretor de 1966 a 1969, tendo exercido sua diretoria em diversos períodos. Em 1977 foi o principal redator da Carta aos Brasileiros, em que juristas importantes condenavam o regime de exceção e exigiam o respeito ao estado de direito no país.

Lecionou durante quase 45 anos. Em 1985, por força de lei, foi aposentado compulsoriamente, ao atingir 70 anos de idade. Pouco depois de sua aposentadoria, não conseguiu o voto unânime da congregação da escola para o título de professor emérito da São Francisco. Em desagravo, a direção da USP o honrou com o título de "Professor Emérito da Universidade de São Paulo".

Revista Consultor Jurídico, 28 de junho de 2009, 2h23

Comentários de leitores

1 comentário

REALMENTE UM EMÉRITO PROFESSOR

GILDA FIGUEIREDO FERRAZ DE ANDRADE (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

Tive o privilégio, juntamente com minha TURMA da USP de 1981, de termos sido alunos do querido e já saudoso Prof. Goffredo , que no 1. ano de faculdade, lecionava a disciplina Introdução à Ciência do Direito.
Não havia livros, estudávamos com as apostilas que o Centro XI de agosto gentilmente nos proporcionava.
Aprendiámos as primeiras noções de direito assistindo suas maginíficas aulas.
Nunca me esquecerei de sua fidalguia , de sua simplicidade, generosidade , de seu carinho com seus alunos e alunas, postura própria dos Grandes mestres, e de seus conceitos jurídicos precisos e esclarecedores.
Para o Prof. Goffredo, não existia o conceito de DESORDEM, e nos repetia : " Desordem é a ORDEM que não nos convém".
Deixou discípulos, gerações de alunos-amigos, mas muito mais que isso, deixou saudades, que também segundo ele, em uma conversa informal há anos atrás sobre ela assim se referiu " Saudades são a presença da auência ".
Descanse em Paz, Professor Goffredo. Com a certeza de haver sido dos mais queridos Mestres do Largo de São Francisco.

Comentários encerrados em 06/07/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.