Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Perda na advocacia

A morte de Hermínio Alberto Porto e sua história

[Texto do jornalista Estevão Bertoni, do jornal Folha de S. Paulo, publicado neste sábado (27/6)]

O professor Hermínio Alberto Marques Porto, em apoio aos estudantes, não arredou o pé da PUC até o último aluno sair da instituição.

Era 22 de setembro de 1977, tempos de regime militar.

Naquele dia, 3 mil homens, munidos de cassetetes e bombas, reprimiram um ato em frente à universidade, do qual participavam cerca de 2 mil estudantes. Centenas deles foram postos em ônibus e levados presos.

Hermínio, diretor da Faculdade de Direito da PUC na época, viu o prédio onde lecionava ser invadido e depredado. Junto à reitoria, pronunciou-se: "Com a violência não se dialoga". Para ele, a data ficou sendo símbolo da reivindicação por um Estado democrático no país.

Nascido em Batatais, foi criado em Bebedouro (SP).

Em 1945, veio à capital, onde se formou em direito pela USP, em 1950. Foi promotor em cidades do interior e na capital e corregedor-geral do Ministério Público. Chamavam-no de mestre do júri.

Também exerceu os cargos de professor titular de Direito Processual Penal da PUC e vice-reitor da Unip.

Aposentado como procurador de Justiça do Estado, atuou por um tempo como advogado criminalista e ainda dava aulas na pós-graduação da PUC. "Ele tinha um espírito humanista, era um típico advogado da sociedade", diz a filha Taís, que é também procuradora.

Nas horas vagas, foi pintor – deixou a sala de casa forrada com quadros de sua autoria. Hermínio morreu terça-feira (23/6), aos 82 anos, após sofrer uma parada cardíaca. Teve quatro filhos e três netos.

A missa de sétimo dia acontece sábado, às 17h, na paróquia São João de Brito, no Brooklin, em São Paulo.

Revista Consultor Jurídico, 27 de junho de 2009, 18h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 05/07/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.