Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conflitos de greve

Dirigentes da USP apoiam reitora em carta

Dirigentes de faculdades que fazem parte da Universidade de São Paulo divulgaram manifesto em defesa da reitoria. Há uma semana, ocorreu um confronto entre policiais, chamados pela reitoria da USP, e manifestantes que participam de greve por reajustes salariais. A reitoria já anunciou novas reuniões de negociação.

O grupo formado por diretores de 37 áreas da universidade informa em carta seu respeito pela expressão de ideias, mas apoia as atitudes que vem sendo tomadas pela reitora Suely Vieira. A carta ainda refuta qualquer tipo de violência "seja por grevistas ou policiais" e reforça que os manifestantes devem "preservar o acesso ao trabalho, sem causar ameaça ou dano às pessoas ou ao patrimônio público.

Segundo o grupo, os grevistas têm complicado o acesso de trabalhadores aos seus postos. Em carta aos funcionários da USP, a reitora dá sua opinião: "A greve é um direito. No entanto, em uma democracia que, supostamente esses grupos defendem, embora oprimam aqueles que não concordam com suas ideias, ela não deve interferir com os direitos de ir e vir das pessoas".

No comunicado, Suely também afirmou que não está utilizando a força policial para conter os manifestantes. "A reintegração de posse foi a forma legal que utilizamos para impedir os piquetes. Estes bloqueavam a entrada para aqueles que não estavam a favor da greve nos vários locais fechados pelos manifestantes", explica. "Como não houve o respeito à determinação da Justiça e os piquetes e barreiras físicas continuaram, a Polícia Militar usou de seu dever de fazer cumprir o mandado judicial e permaneceu nesses locais."

Em carta, Suely informa que continuará no cargo até o prazo regimental por conta da confiança depositada pelos diretores sobre sua administração do campus. Ela ainda informa que o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) já agendou reunião com representantes do Fórum das Seis, que representa sindicatos de professores e funcionários e entidades estudantis, para discutir a reabertura das negociações.

Segundo comunicado no site da instituição, já estão marcados encontros para sexta-feira (19/6) e segunda-feira (22/6). A reunião técnica prevista para sexta-feira deverá analisar, por exemplo, planilhas de custos e arrecadação. Com base nesses dados é que se dará a negociação no dia 22. O Cruesp divulgou nota sobre os encontros agendados "Com essa decisão, o Cruesp reafirma sua convicção de que as negociações, conduzidas em clima de tranquilidade, levarão à superação das divergências e devolverão a normalidade às instituições universitárias."

Leia o Manifesto
"Os Dirigentes de Unidades da Universidade de São Paulo, abaixo assinados, reafirmam sua firme convicção nos valores democráticos e éticos que devem reger a vida universitária, que incluem o convívio civilizado com o contraditório, o debate profundo de ideias e o inegociável respeito aos direitos humanos e constitucionais, bem como às leis que regem a convivência comum no Estado Democrático de Direito.

Entendemos como de fundamental importância manifestarmo-nos em defesa da Universidade, reiterando total apoio à Reitora no desempenho de seu papel institucional, na implementação dos princípios acima mencionados.

Conclamamos toda a comunidade universitária ao entendimento em torno do respeito ao direito de greve e da livre expressão de ideias, refutando qualquer tipo de violência, seja por grevistas ou por policiais. Ao mesmo tempo, enfatizamos que, nos termos da lei, as manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas devem preservar o acesso ao trabalho, sem causar ameaça ou dano às pessoas ou ao patrimônio público, como os que geraram, em primeira instância, a necessidade das ações judiciais de reintegração de posse e a subsequente presença da polícia no campus para seu cumprimento.

São Paulo, 15 de junho de 2009."

Glaucius Oliva (Instituto de Física de São Carlos)
Alejandro Szanto de Toledo (Instituto de Física)
Augusto César Cropanese Spadaro (Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto)
Luiz Fernando Pegoraro (Faculdade de Odontologia de Bauru)
Welington Braz Carvalho Delitti (Instituto de Biociências)
Maria do Carmo Calijuri (Escola de Engenharia de São Carlos)
Nei Fernandes de Oliveira Júnior (Escola de Engenharia de Lorena)
Sebastião de Sousa Almeida (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto)
José Antonio Visintin (Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia)
Benedito Carlos Maciel (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto)
Maria Cristina de Souza Campos (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto)
Luiz Roberto Giorgetti de Britto  (Instituto de Ciências Biomédicas)
Osvaldo Luiz Bezzon (Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto)
Go Tani (Escola de Educação Física e Esporte)
Oswaldo Baffa Filho (Centro de Informática de Ribeirão Preto)
Paulo Domingos Cordaro (Instituto de Matemática e Estatística)
Yolanda Dora Martinez Évora (Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto)
Ivan Gilberto Sandoval Falleiros (Escola Politécnica)
Colombo Celso Gaeta Tassinari (Instituto de Geociências)
Emma Otta (Instituto de Psicologia)
Ana Maria S. Pires Vanin (Instituto Oceanográfico)
Hans Viertler (Instituto de Química)
José Alberto Cuminato (Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação)
Ignácio Maria Poveda Velasco (Faculdade de Direito de Ribeirão Preto)
Holmer Savastano Júnior (Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos)
Chester Luiz Galvão César (Faculdade de Saúde Pública)
João Grandino Rodas (Faculdade de Direito)
Antonio Roque Dechen (Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”)
Valdir José Barbanti (Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto)
Sylvio Barros Sawaya (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo)
Edson Antonio Ticianelli (Instituto de Química de São Carlos)
Isilia Aparecida Silva (Escola de Enfermagem)
Carlos Roberto Azzoni (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade)
Tércio Ambrizzi (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas)
Dulcinéia Saes Parra Abdalla (Faculdade de Ciências Farmacêuticas)
Marcos Boulos (Faculdade de Medicina)
Carlos de Paula Eduardo (Faculdade de Odontologia)
Dante De Rose Júnior (Escola de Artes, Ciências e Humanidades)

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2009, 16h36

Comentários de leitores

2 comentários

USP

Daniel (Outros)

Parabens reitora....a USP é do POVO..nao pode ser tomada por baderneiros...
Daniel

Amiga de banqueiros

Robespierre (Outros)

Dona Suely precisa definir se fica com seus amigos banqueiros, ou defede a USP.

Comentários encerrados em 24/06/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.