Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Segunda chance

Gabinete de Marco Aurélio contrata preso em semiaberto

Por 

O gabinete do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, contratou nessa segunda-feira (2/6) um condenado que cumpre pena em regime semiaberto para trabalhar. O novo empregado foi selecionado pelo programa de ressocialização de sentenciados do STF.

A corte já tem 14 funcionários selecionados pelo programa, que começou em fevereiro e que deve beneficiar 40 detentos. Quatro sentenciados trabalham no gabinete do presidente, ministro Gilmar Mendes, desde fevereiro e desempenham funções administrativas. O restante trabalha em diversas áreas do tribunal, como na biblioteca, no museu e no setor de áudio e vídeo. Se os apenados do programa tiverem grau superior, poderão desempenhar atividades em áreas específicas.

O programa visa a remissão da pena do sentenciado e sua ressocialização. Os condenados que arrumam trabalho precisam preencher os requisitos exigidos pela Vara de Execuções Penais, como estar cumprindo a pena em regime aberto ou semiaberto e passar por entrevistas com uma assistente social do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça.

A iniciativa de inserir o preso para trabalhar em seu gabinete partiu do ministro Marco Aurélio. “Não queremos que ele seja um reincidente na prática criminosa. Queremos que ele seja reintegrado ao centro da sociedade.” Segundo Marco Aurélio, é preciso compreender que se trata de um ser humano que merece ter esperança na vida. Para tanto, “a reinserção por meio do trabalho visa a ressocialização”, completa o ministro.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 2 de junho de 2009, 21h16

Comentários de leitores

6 comentários

Iniciativa mais do que necessária

Renata Azeredo da Silva (Advogado Sócio de Escritório - Tributária)

Parabéns ao STF por este programa. Fiquei chocada com as manifestações contrárias mas, infelizmente, são, entre outros fatores, mentalidades como estas que gerarm e mantém uma sociedade egoísta e individualista como a nossa onde as injustiças e desigualdades só crescem, propiciando, desta forma, o aumento vertiginoso da marginalidade e da criminalidade.

CADA UM DÁ A "BALA" QUE TEM

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

ACOMPANHO NA TOTALIDADE O COMENTÁRIO DO ACADÊMICO ALEXANDRINO, QUE ME PARECEU UM JOVEM SENSATO, COM FILOSOFIA CONSTRUTIVA.
TEM JUIZ QUE DÁ A "BALA" PARA ADOÇAR, OUTROS A "BALA" DE REVÓLVER, COMO NA VERGONHOSA OPERAÇÃO CASTELINHO, ONDE MUITOS SE EMPORCALHARAM EM SAGUE.

Parabéns

Alexandrino (Estagiário)

Como o próprio título deste comentário diz - PARABÉNS - Ministro Marco Aurélio, é necessário uma dose de humanidade em favor daqueles que, infelizmente, começeram o mundo do crime na pátrica.
Senhor Ministro, com esta atitude, já edificada por outros Ministros, os Senhores nos dão uma dose cavalar de idealismo jurídico e fomenta, em nós jovens estudantes, que esse País enfrentará os seus percalços de violência não com a prisão, mas sim com a ressocialização (responsabilidade do Estado-Juiz) e com a educação (responsabiliade do EStado-Adminitração).
Eventuais indignações com a vossa digna atitude são pilhérias e não merecem ser lidas, embora estejamos em um País Democrático.
Neste fio de pensar, abalisa o nosso entendimento a itenção do legislador quando corporificou a Lei de Execução Penal.
Enfim, Nobre (s) Ministro (s), PARABÉNS!!!!!!
Aos que vislumbraram um vim de indignação com a contratação que saiam da leitura dos resumos e leiam o espírito da lei quando ela é criada, a sua efetiva vontade e finalidade, depois, criem e descrevam cometários construtivos, pois, somente estes hão de afastar a violência deste nosso Lindo Brasil.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/06/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.