Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Não tem nada haver e falta de compromisso com o povo

JJ (Praça da Marinha)

O problema não é com vagões para homens e mulheres e outros, e sim, que deva ser colocado mais trens com a demanda de passageiros na hora de pico. Trens suficientes para atender a essa demanda, já que o serviço público foi privatizado, o que não ocorrendo: 1) aplicar multas pesadas; 2)prazo de adequação ao serviço; e 3)desqualificação dessas concessionárias do serviço.
Más parece que o Estado não tem a menor preocupação com estes itens, porque se trata da população e não para serví-los.
O eleitor deve está atento, mas infelizmente os atentos são uma pequena parte, porque tem acesso as informações sobre os seus direitos, os outros são os outros.
Deus nos ajude!!!

igualdade já

daniel (Outros - Administrativa)

os homens também devem ter vagões separados e os homossexuais também.

Questão de equilíbrio

Recel (Servidor)

Só sendo homem mesmo para achar que um vagão separado é frescura. Certamente as mulheres da família Terra nunca precisaram pegar um trem. A humilhação a que as usuárias do serviço são submetidas é desumana. A lei só veio tentar equilibrar essa situação.
E.T. para os contrários à lei: como qualquer outra lei do Rio, esta também é solenemente ignorada. O TJ nem precisava se dar o trabalho.

Tão animal quanto

Caio T. (Serventuário)

O problema é que, ao pretender coibir atitudes "animais", a medida acaba por ser, a seu modo, "animalesca", na medida em que rasga pedaço do Texto Constitucional.
As intenções podem ser as melhores possíveis. Mas os meios devem ser os adequados.

Comentar

Comentários encerrados em 31/07/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.