Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

daniel (Outros - Administrativa)

Jorge Cesar (Advogado Autônomo - Internet e Tecnologia)

Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra.
William Shakespeare

falta de serviço

daniel (Outros - Administrativa)

falta de serviço
a defensoria deve estar realmente com falta de serviço, pois deixa os pobres na fila e começa a ajuizar ações que aparecem na mídia, sem comprovar a carÊncia dos clientes.O pior de tudo é que quer defender réu e vítima no mesmo processo. Afinal, quem defende o bandido que agrediu a vítima é a defensoria.
Realmente é um absurdo a defensoria alegar que tem monopólio da assistencia juridica, pois em nome próprio já está, em muitos casos, processando os pobres em prol de proteger outros pobres...
A defensoria está querendo atuar como se as pessoas fossem interditadas e precisassem de uma substituta processual. Em nenhum lugar do mundo é assim. Assistente juridico é assessor juridico, náo pode atuar em nome próprio e nem contrariar o cliente, inclusive pode ser substituído a qualquer momento.

Thales

Defensor Federal (Defensor Público Federal)

Caro Thales,
Não perca seu tempo respondendo aos frustrados que sempre comentam nas notícias que tem o nome da Defensoria tentando de qualquer forma prejudica-la. Nós sabemos bem os interesses dessas pessoas! E uma coisa eu garanto, com o pobre é que não é...
Estes já são conhecidos por aqui. Suas (dessas pessoas) declarações já foram inclusive chamadas de "diarreia mental" por magistrados que por aqui passaram.
Ignore-os.

inquérito arquivado

Ricardo T. (Outros)

Pelo teor do texto, o fato correu após o arquivamento do inquérito. Portanto, acredito que saber o motivo do arquivamento é crucial, pois, em meu sentir, sem inquérito não é possível a concessão da medida protetiva na esfera criminal. Outrossim, sou favorável, registrando o excelente trabalho desenvolvido pela Defensoria, que um Defensor permanecesse na Delegacia da Mulher e que ele pudesse verificar o cabimento da medida ou não, sendo que tal decisão poderia ser revista pelo juiz. A pessoa já sairia da Delegacia com a medida, se fosse o caso.

Defensoria para quê?

Thales A. Treiger (Defensor Público Federal)

Realmente, isso sim é assistência jurídica integral prevista na Constituição. Um advogado dativo, muito provavelmente, não teria condições de propor esta demanda. Leva tempo, é desgastante para o advogado dativo que, na maioria dos casos, é recém formado, que quando passa o tempo, é empregado de um escritório ou passa em um concurso público e deixa o hipossuficiente ao Deus dará. Com relação a não comprovar a carência dos assistidos, basta ver que, ao menos os colegas que conheço, zelam e muito pela comprovação de renda. Não há monopólio algum da prestação de assistência jurídica aos necessitados, o que há é o dispêndio de recursos a uma instituição criada pela Constituição para tal fim (no sistema preconizado pela OAB a defesa dos interesses colidentes entre hipossuficientes também não é feita por advogados dativos?). Pior é repassar recursos para quem não foi selecionado por processo licitatório, não fez concurso público e sequer apresenta prestação de contas para o órgão pagador, isso sim.
Há sim ações ajuizadas que geram mídia. Ocorre que a massa de ações não gera. Eu mesmo aqui, estou lotado no Estado do Acre e conto, pasmem os senhores em meu acervo que divido com apenas uma única colega, com mais de 4000 processos ativos, coisa que muito provavelmente advogado dativo algum tenha condições de dar conta. Se a mudança de estado para um dativo é fora de cogitação qualquer mudança de vida parecida, o que, sem uma condição de percepção de vencimentos condignos, não ocorrerá nunca, além do que, o assistido conta com um sistema que o levará, se for o caso, aos Tribunais Superiores, o que o advogado dativo nunca poderá lhe proporcionar.
Saudações.

falta de serviço

daniel (Outros - Administrativa)

a defensoria deve estar realmente com falta de serviço, pois deixa os pobres na fila e começa a ajuizar ações que aparecem na mídia, sem comprovar a carÊncia dos clientes.O pior de tudo é que quer defender réu e vítima no mesmo processo. Afinal, quem defende o bandido que agrediu a vítima é a defensoria.
Realmente é um absurdo a defensoria alegar que tem monopólio da assistencia juridica, pois em nome próprio já está, em muitos casos, processando os pobres em prol de proteger outros pobres...

Comentar

Comentários encerrados em 23/07/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.