Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Trajetória das drogas

Bolivianos interceptados pela FAB são denunciados

O Ministério Público Federal de Rondônia denunciou nesta segunda-feira (13/7) à Justiça os bolivianos Ramon Ruiz Suarez e Gualberto Borda Mendez. Eles foram interceptados pela Força Aérea Brasileira (FAB) por entrarem de avião sem autorização em território brasileiro. Na aeronave, foram encontrados mais de 176 quilos de cocaína. Se condenados, os denunciados podem cumprir penas de até 15 anos de prisão e pagamento multa.

Segundo a denúncia feita pela Procuradoria da República no município de Ji-Paraná (RO), Ramon Suarez foi contratado para transportar cocaína de uma fazenda próxima a Trinidad, na Bolívia, até Rondônia. Pelo serviço, ele receberia três mil bolivianos. Segundo a acusação, Ramon contratou o mecânico de aeronaves Gualberto Mendez para que o ajudasse a arremessar a cocaína em território brasileiro, enquanto pilotava o avião.

Ainda segundo a acusação, no dia três de junho, os dois entraram no espaço aéreo brasileiro com a droga. A aeronave boliviana foi detectada por um avião radar da FAB e, em seguida, interceptada por dois aviões Super Tucano. “Houve a tentativa de conduzir a aeronave boliviana até o aeroclube da cidade de Cacoal (RO), mas o piloto conseguiu desviar o curso e pousar em uma estrada rural, próximo ao distrito de Izidrolândia, na cidade de Alta Floresta do Oeste”, explica o MPF.

A Polícia apreendeu sete pacotes de cocaína no avião, mas os tripulantes fugiram pela mata fechada. Somente após busca promovida pela Polícia Federal e pelas Polícias Militar e Civil de Rondônia os dois foram localizados, no dia 5 de junho, e foram presos em flagrante. O procurador da República Rudson Coutinho afirma na denúncia que por todos esses fatos ficou caracterizado o tráfico transnacional de drogas.

O piloto Ramon Suarez e o mecânico de aeronaves Gualberto Mendez ainda estão presos na Casa de Detenção de Pimenta Bueno, onde aguardarão o julgamento. Os dois confessaram os crimes. Com informações da Assessoria da Imprensa do MPF.

Revista Consultor Jurídico, 13 de julho de 2009, 18h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/07/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.