Consultor Jurídico

Notícias

Medida de segurança

Após suposto grampo, STF compra 55 telefones criptografados

Comentários de leitores

6 comentários

O que temem os homens de reputação ilibada? Eu,...

Cananéles (Bacharel)

O que temem os homens de reputação ilibada? Eu, hein?!

É importante ressaltar que esses 55 aparelhos f...

Mauro (Professor)

É importante ressaltar que esses 55 aparelhos foram adquiridos visando proteger-se de uma nova modalidade de grampo, o grampo sem áudio. Afinal, dois cidadãos tão bonzinhos confirmaram a conversa. Imagine se o áudio aparecer. Vão comprar mais outros 55 para garantir o sigilo de todas as patifarias deles.

Os bisbilhoteiros oficiais transformaram o país...

olhovivo (Outros)

Os bisbilhoteiros oficiais transformaram o país em piada, maior do que já era. Até a mais alta Corte do país tem de se precaver para resguardar a própria privacidade, não contra larápios privados, mas públicos.

Acho que o Conjur deveria excluir comentários a...

João G. dos Santos (Professor)

Acho que o Conjur deveria excluir comentários agressivos, sob pena de transformar este espaço em palco de baixarias, o que é incompatível com a postura de quem se intitula advogado.

Telefones que não podem ser interceptados? Mas ...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

Telefones que não podem ser interceptados? Mas a própria Constituição excepciona casos em que é permitida a interceptação. Logo, com esse aparelho, a determinação judicial perde o sentido para quem tem condições financeiras de sobrepor-se a ela. É como ser permitida a compra de aparelhos detectores de radares de velocidade de veículos. Bem se houve o Ministro Marco Aurélio, com seu oportuno comentário no caso em questão.

Gilmar se borrou todo com a história do grampo,...

Gustavo ST (Advogado Autônomo)

Gilmar se borrou todo com a história do grampo, limpou a merda rapidinho. Com os novos telefones vai poder vender decisões a rodo.

Comentar

Comentários encerrados em 15/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.